Card image
Super carros
Novo Renault Duster: mais bonito e moderno

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 04/03/2020
  • Atualizado: 05/03/2020 às 10:32
  • Por: Isabel Reis

O Renault Duster finalmente mudou. Quando foi lançado, em 2011, seu único concorrente era o Ford Escosport, que dominava totalmente o mercado. Hoje, o novo Duster vai encarar a concorrência de mais de 12 competidores diretos.

Renault Duster
Foto: Victor Eleutério

Um dos trunfos é o seu preço, que se manteve o mesmo do modelo antigo. Sem dúvida, um grande esforço da Renault para ganhar mercado, uma vez que o carro recebeu uma série de aperfeiçoamentos, como novos desenhos externo e interno, muita conectividade e maior robustez.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Um dos pontos muito destacados da apresentação de hoje foi justamente o da robustez. O Duster foi mostrado como um carro muito apropriado para o fora de estrada, com melhores ângulos de entrada e de saída, que facilitam ultrapassar obstáculos. A incoerência é que não há uma versão 4×4. Segundo a Renault, as vendas anteriores das versões 4×4 não ultrapassaram os 4% de participação, ou seja, não valeria a pena manter no novo Duster.

Existia pelo público grande expectativa sobre o novo motor 1.3 turbo. Aviso aos navegantes: ele não virá por enquanto. Segundo Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil, houve um consenso de que ainda não era o momento. Mas sabemos que o motor 1.3 turbo está praticamente pronto e que será implementado em um futuro próximo.

O novo Duster utiliza apenas o motor 1.6 (potência de 120 cv e torque de 16,2 kgfm) com câmbio CVT (continuamente variável), que já equipava o modelo anterior. A Renault ressaltou alguns aperfeiçoamentos na motorização, como outra calibração e a adoção do sistema Start/Stop (desliga automaticamente o motor quando o carro para em um semáforo, por exemplo). Esse recurso teria melhorado o consumo, segundo a marca. O motor 2.0 foi descontinuado.

Foto: Victor Eleutério

Há três versões do novo Duster à sua disposição: a Zen (com câmbio manual ou com o automático CVT), a Intense 1.6 CVT e a Iconic 1.6 CVT. A versão top de linha Life não será lançada neste momento. Federico Goyret, diretor de marketing, falou sobre o cuidado da Renault de não avançar demais sobre o Captur, SUV topo de linha da marca: “Com a versão Life isso acabaria acontecendo e não é o momento, pois queremos ampliar ainda mais o mercado do Duster.”

Nova central multimídia
Já era tempo de o Duster ter uma central multimídia, que a Renault chama de EasyLink, com uma tela touch de 8 polegadas. Dá para personalizar o layout da tela e o sistema permite o espelhamento do celular utilizando o Android Auto ou o Apple Carplay. Os ocupantes podem realizar suas conexões por Bluetooth, pois é possível cadastrar até cinco pessoas diferentes, que podem personalizar as suas funções também. Veja o que é possível fazer nesse sistema:
• definir um layout personalizado;
• salvar até nove estações de rádio na memória;
• escolher um nome ou foto de capa;
• salvar suas preferências de configuração de rádio na memória do sistema;
• habilitar ou desabilitar o destravamento de portas sem a chave;
• personalizar o som das teclas;
• personalizar uma sequência de boas-vindas, incluindo avisos sonoros.

Duster
Foto: Rodolfo Buhrer

Versões e preços
O consumidor poderá fazer a sua compra online diretamente no site da Renault. Não é apenas encomenda. Dá para entrar, ver onde estão os carros em estoque e já comprar no ato. Na pré-venda já existem 5.000 encomendas pelo sistema online, conforme foi informado. Veja os preços:
Duster Zen com câmbio manual: R$ 71.790
Duster Zen com câmbio CVT X-Tronic: R$ 77.990
Duster Intense CVT X-Tronic: R$ 83.490
Duster Iconic CVT X-Tronic: R$ 87.490

Zen: versão de entrada
Está equipada de série com o básico que se espera como ar-condicionado manual. Além disso traz faróis com assinatura LED, airbags dianteiros, ABS, ESP, HSA, cinto de segurança de três pontos em todos os assentos, dois ISOFIX no banco traseiro, vidro elétrico nas quatro portas, Start/Stop, trava elétrica com fechamento automático, banco traseiro rebatível bipartido, alarme perimétrico (avisa quando algum veículo se aproxima demais). Os opcionais são o sistema de multimídia EasyLink, faróis de neblina, regulador e controlador de velocidade, rodas de liga leve. Esse pacote sai por R$ 3.000.

Versão intermediária Intense
A Intense já vem com ar condicionado digital, câmera de ré, sensor de estacionamento, piloto automático, faróis de neblina e sistema de conectividade Easylink. Os únicos opcionais são os bancos de couro (R$ 1.700) e um pacote exterior de design chamado de Outsider, com lanternas que se projetam para a frente e que causam até uma certa estranheza. O Outsider custa R$ 2.300 e oferece uma proteção frontal com farol de longo alcance, alargadores de para-lama e um friso mais robusto na porta.

Versão Iconic: topo de linha
Essa versão tem todos os itens da versão Intense, mais câmeras multiview, alerta de ponto cego, sensor de luminosidade, chave com cartão, rodas de alumínio de 17 polegadas diamantadas. Também seguem como opcionais os bancos de couro e o Pacote Outsider, pelo mesmo valor acima.

Rodando com o Duster
O lançamento foi em Foz do Iguaçu, PR, e a Renault deu várias opções para rodar com o carro, inclusive em uma pista projetada para off-road. O desempenho é muito parecido com o da versão anterior, uma vez que não mudou a motorização. Mas o carro realmente se saiu bem por ser alto e encarar com coragem as estradas de terra. Mesmo sem 4×4, dá para colocar o Duster no barro e não se preocupar com atoleiros ou “costelas de vaca”. Um veículo robusto, como a própria Renault diz. Esse é um diferencial, inclusive para o Renault Captur, mais voltado para o uso urbano ou para estradas asfaltadas.

O modelo continua sendo feito em São José dos Pinhais, PR, com a mesma plataforma. Mas foram empregados aços de maior resistência para deixar a estrutura 12,5% mais rígida. Portas, teto, colunas, para-choques e tampa do porta-malas são novos. Os destaques anteriores, que já eram o entre-eixos de 2,67m e o porta-malas de 475 litros (o maior entre os concorrentes), continuam os mesmos no novo modelo. Ótimo, porque já eram pontos bastante positivos.

Depois de quase dez anos sem novidades, estava mesmo na hora de o Duster se renovar e voltar a encarar de frente os seus concorrentes, que não são nada fracos. Segundo Federico Goyret, diretor de marketing, os principais são o Jeep Renegade e Ford Ecosport, mas o Duster também encara versões do Hyundai Creta e do Nissan Kicks.