Card image
Super carros
Mercedes obtém nível 3 de carro autônomo e planeja estreia no Classe S

1 Minuto de leitura

  • Publicado: 29/12/2021
  • Atualizado: 29/12/2021 às 12:07
  • Por: Leonardo Marson

Mais um passo foi dado em direção a carros que andarão completamente sozinhos. A KBA, agência máxima de transportes da Alemanha, validou o sistema de condução Drive Pilot, desenvolvido pela Mercedes-Benz, dentro dos requisitos que o colocam no nível 3 de automação veicular. Assim, a marca da estrela de três pontas se torna a primeira montadora a poder aplicar esta tecnologia no mundo, com previsão de lançamento para 2022.

Mercedes
Foto: divulgação

Os níveis de automação são definidos pela SAE, que classifica os veículos de 0, sem qualquer automação, a 5, para carros totalmente autônomos, com volante e pedais completamente dispensáveis. No caso do Autopilot, do Tesla, o nível é 2+, que apesar de ser impressionante, ainda não permite que o volante do carro seja abandonado pelo condutor.

A estreia do Drive Pilot ocorrerá com o Classe S, já no primeiro semestre do próximo ano. O sedã da Mercedes poderá andar de forma autônoma alcançando os 60 km/h sem que o condutor precise segurar o volante ou pisar nos pedais. Essa velocidade poderá ser alcançada em tráfego intenso ou congestionamentos nas Autobahns, estradas de alta velocidade, que permitam o uso da tecnologia.

De acordo com a Mercedes, em situações de trânsito pesado com o Drive Pilot, o motorista poderá acessar o sistema multimídia MBUX para, por exemplo, verificar de e-mails ou realizar compras online enquanto o carro anda completamente sozinho em situações de engarrafamento.

Ainda segundo a marca da estrela, o sistema de piloto automático poderá ser usado em mais de 13 mil quilômetros nas rodovias alemãs. Testes são realizados nos Estados Unidos e na China, mas a aplicação do Drive Pilot depende das legislações de cada país. O regulamento de homologação técnica do nível 3 de carro autônomo passou a vigorar no início de 2021, e, a partir daí, pode ser implementado na Europa.

Comentários