Card image
Super carros
Coluna do Chico Lelis: eu, Jimmy Connors e Maria Esther Bueno

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/09/2019
  • Atualizado: 13/09/2019 às 12:23
  • Por: Leonardo Marson

Corria o ano de 1982, setembro. E lá estava eu, em Nova York, hospedado no Regency, um baita hotel, na Park Avenue. Tão chic era o Regency que você, na época, não tomava seu breakfast sem paletó. Eles tinham alguns de reserva para os menos avisados. O elevador, por exemplo, era um luxo, com ascensoristas – para quem são sabe do que se trata esta “coisa fora de moda”, são pessoas que conduzem os elevadores – usavam (será que ainda usam?) impecáveis uniformes, com alvíssimas luvas brancas. Enfim, um hotel maravilhoso.

Pois, justo no dia da final do US Open (um dos mais importantes Grand Slam mundial) eu estava no meu apartamento (hoje a diária custa US$ 1.600) no Regency assistindo à final do torneio daquele ano, quando Connors venceu Ivan Lendl. Foi como se estivesse comemorando seu aniversário, ele que nasceu em 2 de setembro de 1952.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!

Visto o jogo, a entrega do troféu, tomei um banho, coloquei uma roupa para sair e desci. Para minha alegre surpresa, quando o elevador chegou ao térreo e a porta abriu vi, ali, na minha frente, o campeão do US Open de 1982. O próprio Jimmy, carregando suas raquetes, toalhas. Nada de assessores ou aspones.

LEIA MAIS:
Ford apresenta novos modelos híbridos e elétricos em Frankfurt

Estendi a mão para ele: congratulations mister Connors.

Com simpatia e um sorriso estendeu a mão para mim e perguntou de onde eu era.

From Brasil!

Ô, Maria Bueno (com sotaque). Fantastic!

E entrou no elevador.

E me deixou ali, pensando: quantos brasileiros sabiam, na época, ou sabem hoje, sobre quem foi Maria Esther Bueno, que no exterior era conhecida como Maria Bueno, a referência do Brasil para o mundo do tênis. Até hoje!

Para quem não sabe: Maria Esther Andion Bueno, o maior nome do tênis feminino no Brasil, nasceu em São Paulo (SP) em 11/10/39 e nos deixou em 2018. Venceu 71 torneios, entre eles 7 Grand Slam individuais, 11 em duplas e um em duplas mistas. Foi a primeira no ranking em 1959, 1960, 1964 e 1966. Deixou o tênis em 1977.

No ano seguinte seu nome foi incluído na galeria do International Tennis of Fame. E uma estátua, em tamanho natural (1,70 m de altura) está lá, no famoso museu de cera Madame Tussauds, em Londres.

Ah, ia esquecendo: no quesito uniforme, ela foi a precursora a usar saiotes mais curtos para jogar. Antes dela, as mulheres usavam longos e desengonçados saiotes.

Obs: Naquele ano de 1982 eu trabalhava na maravilhosa Sucursal de O Globo, em São Paulo, e fui aos EUA a convite de Mário Garnero, um dos mais competentes empresários brasileiros, comandante do Brasil Invest.