Card image
Super carros
20 curiosidades sobre as 24 Horas de Le Mans

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 18/06/2016
  • Atualizado: 18/06/2016 às 6:06
  • Por: Racing

<p><img alt="Chegada da prova de 1966, quando a Ford venceu pela primeira vez em Le Mans. (Foto: Sutton Images)" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/fordgt-curiosidade_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Disputada pela primeira vez em 1923, Le Mans é a corrida de resistência em atividade mais antiga do mundo. Em 83 edições já disputadas, a prova coleciona heróis, tragédias e várias curiosidades. Conheça algumas dessas histórias.</span></p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">1. A primeira vez</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">A primeira corrida, realizada em 26 e 27 de maio de 1923, foi vencida pelos franceses André Lagache e René Léonard, a bordo de um Chenard et Walcker. A Ford marcou presença com o tradicional modelo T, pilotado pelo francês Albert Ouriou e o belga Charles Montier, que terminou em 14º lugar.</span></p>

<p> </p>

<p><strong>2. 92 anos depois, 132 km/h a mais</strong></p>

<p> A média de velocidade de Lagache e Léonard em 1923 foi de 92,064 km/h. Para se ter uma noção, a média do trio vencedor em 2015 foi de 224,31 km/h.</p>

<p><img alt="Chenard et Walker: primeiro carro vencedor está exposto no Museu de Le Mans (Foto: David Merrett)" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/1923_chenard_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong>3. Dez vezes fora</strong></p>

<p>Desde 1923, a corrida só não foi disputada em dez ocasiões. Em 1936, por conta de efeitos de uma severa crise econômica (a Grande Depressão). Já entre 1940 e 1948, devido à Segunda Guerra Mundial. </p>

<p> </p>

<p><strong>4. A 405 km/h</strong></p>

<p>A maior velocidade registrada na corrida foi 405 km/h na reta Mulsanne, na edição de 1988. O autor da proeza foi o francês Roger Dorchy, a bordo de um WM da equipe WM Secateva.</p>

<p> </p>

<p><strong>5. No meio caminho, duas chicanes</strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Por questões de segurança, a grande reta Mulsanne ganhou duas chicanes a partir da prova de 1990.</span></p>

<p> </p>

<p><strong>6. 14 traçados</strong></p>

<p>Em 84 anos de competição, Le Mans já contou com 14 traçados diferentes. Atualmente são 13,629km de extensão. A primeira configuração, usada entre 1923 e 1928, era 3,6km maior.</p>

<p> </p>

<p><strong>7. Polivalente tricampeão</strong></p>

<p>No mesmo período em que tornou-se o primeiro piloto a vencer três corridas seguidas em Le Mans (1928, 1929 e 1930), o inglês Woolf Barnato era jogador de críquete. Anos antes, havia servido ao Exercíto Britânico na Primeira Guerra Mundial. </p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">8. Última a pé, protesto e vitória</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">A última vez que os pilotos correram a pé até os carros para a largada foi em 1969. Jacky Ickx venceu naquele ano com o Ford GT40. Curioso é que o belga, seis vezes campeão da prova, foi o último piloto a entrar e dar partida no carro. Isso porque ele caminhou vagarosamente em direção ao veículo. Era um protesto, pois julgava as condições de largada inseguras.</span></p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">9. Ordem na casa</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Desde 1962, os carros são alinhados na largada por ordem de cilindrada, os maiores primeiro.</span></p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">10. Enorme tragédia</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Le Mans foi palco de uma páginas mais trágicas do automobilismo mundial, em 1955. Neste ano, um acidente vitimou o suíço Pierre Levegh e 80 espectadores.</span></p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">11. A perda de uma estrela</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Entre os 22 pilotos que morreram durante treinos e corridas em Le Mans, um brasileiro: Christian Heins, em 1963. "Bino" era um dos pilotos mais fantásticos do automobilismo nacional à época, idolatrado inclusive por alguns de seus companheiros de profissão. Um deles era Wilson Fittipaldi Jr. que decidiu homenageâ-lo, batizando seu filho de Christian.</span></p>

<p> </p>

<p><strong>12. Pioneiro do pódio</strong></p>

<p>Foi o norte-americano Dan Gurney quem iniciou a tradição de borrifar champanhe: em 1967, após vitória com a Ford.</p>

<p><img alt="Dan Gurney (de jaqueta azul, à esquerda) pouco antes de iniciar a tradicional comemoração com champanhe (Foto: Sutton Images)" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/lemans10_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">13. Senhor Le Mans</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Com nove vitórias, o dinamarquês Tom Kristensen, conhecido como “Mr. Le Mans”, é o maior vencedor da história da corrida. </span></p>

<p> </p>

<p><strong>14. A mais lenta</strong></p>

<p>Das 38 curvas do circuito, a Arnage é a mais lenta, contornada a aproximadamente 70 km/h.</p>

<p> </p>

<p><strong>15. Pesca recorde</strong></p>

<p>O francês Henri "Pesca" Pescarolo competiu em todas as corridas de Le Mans de 1966 a 1999, com exceção a 1969. Somou a marca recorde de 33 largadas.</p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">16. Ford tetracampeã</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">A Ford venceu quatro provas em Le Mans, de 1966 a 1969 – todas com o modelo GT40.</span></p>

<p> </p>

<p><strong><span style="line-height: 1.6em;">17. Motores campeões</span></strong></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Além de quatro vitórias com o Ford GT40 (de 1966 a 1969), a Ford forneceu motores a outros dois carros campeões: o Mirage, de Jacky Ickx e Derek Bell, em 1975, e o Rondeau, de Jean Rondeau e Jean-Pierre Jassuad, em 1980.</span></p>

<p> </p>

<p><strong>18. Tá em casa!</strong></p>

<p>Sim, pai e filho já disputaram – e venceram – juntos a corrida. Foi em 1950, quando o francês Jean-Louis Rosier guiou por 23h15 e entregou seu Talbot-Lago ao pai, Louis Rosier, nos 45 minutos finais do evento.</p>

<p> </p>

<p><strong>19. Nobres 20 minutos</strong></p>

<p>Mas ainda houve gente que venceu com menos tempo ao volante de um carro em Le Mans que Louis Rosier: Peter Mitchell-Thomson, o Barão Selsdon da Escócia. Ele guiou sua Ferrari 166M por… míseros 20 minutos! O companheiro dele, o norte-americano Luigi Chinetti, conduziu o carro durante as primeiras 23h40 de prova. </p>

<p> </p>

<p><strong>20. Referência campeã</strong></p>

<p>Os quatro Ford GTs da edição deste ano em Le Mans correm com os números 66, 67, 68 e 69. Trata-se de uma referência ao período em que a montadora faturou quatro vitórias seguidas na corrida: de 1966 a 1969.</p>

<p><img alt="Numeração dos Ford GTs nesse ano é referência aos anos com vitória em Le Mans pela montadora. (Foto: Divulgação/Ford)" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/ford_gt_em_le_mans-2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

Comentários