IMSA
  • 05/01/2019
Zanardi treina troca de pilotos e celebra correr em Daytona

Alex Zanardi participa neste final de semana do Roar, bateria de testes obrigatória para equipes que disputarão as 24 Horas de Daytona, prova que abre a temporada 2019 da IMSA SportsCar. O italiano, bicampeão da CART, correrá a mais importante prova de endurance dos Estados Unidos pela BMW Team RLL na classe DT Le Mans, e terá como companheiros John Edwards, Jesse Kronh e Chaz Mostert. O italiano mostrou sua força de vontade ao mostrar com é o trabalho para troca de piloto nessa sexta-feira (4).

LEIA MAIS:
Jarvis coloca Mazda na frente em testes das 24h de Daytona
Alonso se vê em melhor forma para correr em Daytona
Brasileiros participam de testes para as 24 Horas de Daytona
Bicampeã da IMSA correrá em Daytona por equipe feminina

O piloto perdeu as pernas em um acidente durante a etapa da Alemanha da Champ Car, em 2001. Apesar disso, o italiano nunca deixou as pistas completamente. A participação nas 24 Horas de Daytona será a primeira de Zanardi nos Estados Unidos desde que sofreu a amputação dos membros inferiores, e o atleta disse que correr a prova americana sempre foi uma vontade.

“A vida é realmente uma questão de oportunidade, e esta é uma que eu definitivamente gostaria de viver. As 24 horas de Daytona sempre esteve em meus olhos. Por ser europeu, as pessoas provavelmente pensariam que eu iria para Le Mans, mas na verdade eu cresci na América como competidor. Sempre foi meu sonho estar aqui”, disse Zanardi, que celebra ter a chance de disputar esta prova.

“Eu estou nos esportes a motor há muito tempo, e está quase na hora de sair, mas felizmente, antes da última corrida, estou aqui e vou para a equipe da RLL com minha fábrica da BMW – estou muito animado”, segue o piloto, que terá os comandos de seu BMW M8 GTE no volante. Apesar de parecer um manuseio mais fácil, Zanardi garante que a pilotagem é complicada.

“Pode ser que não pareça tão complicado, mas na verdade é. Eu tenho que lidar com botões durante a condução. Não há quase nenhum ponto em que pelo menos uma das minhas mãos esteja livre o suficiente para me concentrar em apenas uma operação. Eu posso ter que apertar um botão enquanto acelero atrás do volante. Tenho pressionar a alavanca do freio. Me sinto um pouco como Jimi Hendrix: utilizando ambas as mãos”, completou.

Foto: BMW