Card image
Notícias
Renault demorou em resolver falhas do motor de 2015

1 Minuto de leitura

  • Publicado: 05/01/2016
  • Atualizado: 05/01/2016 às 13:01
  • Por: admin

<p><img alt="Problemas de motor atrapalharam o campeonato de Daniel Ricciardo em 2015" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/p-20150918-00591_hires_jpeg_24bit_rgb_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A Renault admitiu ter demorado muito para sanar os problemas de seu motor no início da temporada 2015 da Fórmula 1. A fabricante, que forneceu motores para as equipes Red Bull e Toro Rosso no ano passado, buscava recuperar o terreno perdido para Mercedes e Ferrari em 2014 e fez grandes mudanças em sua unidade de potência. O resultado, entretanto, não foi o esperado.</p>

<p><strong>LEIA MAIS:<br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/noticias/ultimas-noticias/aston-martin-descarta-retorno-a-f1">Aston Martin descarta retorno à Fórmula 1</a><br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/noticias/ultimas-noticias/button-ve-grip-mecanico-como-prioridade-para-2017">Button vê grip mecânico como prioridade para 2017</a><br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/noticias/ultimas-noticias/brasileiros-participam-de-premiacao-no-panama">Brasileiros participam de premiação no Panamá</a></strong></p>

<p>“Levou muito tempo para encontrarmos uma solução. Deveríamos ter algo para a primeira corrida, mas só descobrimos isso na quinta etapa. Na verdade, foram algumas mudanças que fizemos no hardware durante o inverno. E essa é uma área que não pode apresentar problemas”, disse Rémi Taffin, chefe de operações da Renault, em entrevista à revista inglesa Autosport.</p>

<p>“Achávamos que poderíamos resolver isso sem muita alteração no hardware, mas não foi possível. Foi mais difícil do que esperávamos, acho que fomos otimistas demais”, reconhece o francês, que apontou ter seguido o caminho correto ao admitir que as mudanças feitas no propulsor não foram acertadas.</p>

<p>“Escolhemos uma maneira de trabalhar com o nosso motor com um conceito de hardware diferente, o que não foi a melhor decisão. Mas nós conseguimos fazer funcionar, e isso foi algo bom, porque houve uma evolução. A outra coisa que tivemos de resolver foi o problema com o pistão no início do ano. Nós tivemos de mudar o design, então acho que aí foi um ponto chave”, segue Taffin.</p>

<p>“Se você olhar a temporada como um todo, você dirá ‘nossa, que ano difícil!’, mas haviam dois que não eram esperados”, completou o diretor.</p>