Card image
Nascar
FBI conclui que Bubba Wallace não foi vítima de crime de ódio

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 23/06/2020
  • Atualizado: 23/06/2020 às 21:26
  • Por: Leonardo Marson

O FBI anunciou nesta terça-feira (23) que a investigação sobre o laço de enforcamento encontrado na garagem usada por Bubba Wallace no Talladega Superspeedway, circuito que recebeu nessa segunda-feira a 13ª etapa da Nascar, já estava no local há algum tempo. Assim, o piloto da Richard Petty Motorsport não foi alvo de um crime de ódio.

Nascar
Bubba Wallace ao lado de Richard Petty. (Foto: Getty Images)

A polícia americana informou que 15 agentes especiais estiveram no circuito na segunda-feira. Depois de conversar com diversas pessoas, o FBI informou que não houve crime. O laço já estava na garagem número quatro do circuito em outubro de 2019, de acordo com um vídeo da Nascar.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Outra equipe da categoria americana, a Wood Brothers, também emitiu um comunicado, informando que um funcionário do time alertou a polícia que o laço já estava no local na prova do ano passado, quando o time ficou com aquela garagem. A equipe alertou imediatamente a Nascar, que também se pronunciou sobre o fato.

LEIA MAIS:

Blaney bate Stenhouse por 0s007 e vence em Talladega
Veja os highlights da etapa de Talladega da Nascar

“O FBI concluiu a investigação no Talladega Superspeedway e determinou que Bubba Wallace não foi alvo de um crime de ódio. O relatório do FBI conclui e evidências fotográficas confirmam que a corda havia sido posicionada lá no início do outono”, diz o comunicado emitido pela Nascar.

Nascar
Garagem 4 em Talladega, onde a Richard Petty ficou no final de semana. (Foto: Getty Images)

“Claro, isso foi antes da chegada da equipe à garagem. Agradecemos a investigação rápida e completa do FBI e estamos gratos por saber que este não foi um ato racista intencional contra Bubba. Permanecemos firmes no compromisso de oferecer um ambiente acolhedor e inclusivo para todos os que gostam de corridas”, completa a nota.

O laço de enforcamento é associado a mortes provocadas pelo grupo supremacista branco Ku Klux Klan. Bubba Wallace, único negro no grid da Nascar, tem se colocado na luta antirracista e pediu o fim da presença das bandeiras confederadas, outro símbolo racista, nos eventos da categoria, sendo atendido imediatamente.