Card image
Competições
Quartararo cresce na parte final e vence o GP de Doha

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 04/04/2021
  • Atualizado: 09/04/2021 às 17:16
  • Por: Leonardo Marson

Fábio Quartararo venceu neste domingo (4) o Grande Prêmio de Doha, segunda etapa da temporada 2021 da MotoGP. Após um começo discreto na corrida disputada no circuito de Losail, no Catar, o francês da Yamaha fez uma segunda metade de prova combativa, tomou a liderança da prova ao superar o pole position Jorge Martín quando restavam quatro voltas, e seguiu para a vitória.

Fabio Quartararo
Quartararo deu o bote no final e venceu em Losail. (Foto: Yamaha)

A segunda colocação ficou com Johann Zarco, piloto da Pramac Ducati que “comboiou” Martín ao longo das 22 voltas, superando o companheiro de equipe na volta final. O espanhol, que faz sua temporada de estreia na MotoGP, foi o terceiro, garantindo seu primeiro pódio. Álex Rins acabou em quarto com a Suzuki, após levar a melhor na disputa com Maverick Viñales, quinto com a Yamaha.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Francesco Bagnaia terminou a prova em sexto com a Ducati, após batalhar pela liderança em determinado momento da prova e cometer um erro. Joan Mir, da Suzuki, acabou a corrida em sétimo, sendo seguido por Brad Binder, melhor piloto da KTM na prova. Jack Miller, com a Ducati, foi o nono, enquanto Aleix Espargaró levou a Aprilia ao décimo lugar.

LEIA MAIS:

Moto2: Lowes segura Gardner e vence novamente em Losail
Acosta escala pelotão, aparece no fim e vence em Doha na Moto3

A próxima etapa da MotoGP está marcada para o dia 18 de abril, com a realização do Grande Prêmio de Portugal. A corrida será disputada no circuito de Portimão.

Confira como foi a corrida

A corrida começou com Jorge Martin mantendo com alguma facilidade a primeira colocação, sendo seguido por Johann Zarco. Aleix Espargaró avançou para o terceiro lugar, sendo seguido por Miguel Oliveira, que saiu da quarta fila direto para o quarto lugar. Joan Mir ganhou duas posições na largada e pulou para o quinto posto.

Ainda no giro inicial, Álex Rins pulou para o quarto lugar, deixando Oliveira e Rins para trás. Maverick Viñales, por sua vez, despencou para o décimo lugar na primeira volta. Pouco depois, foi a vez de Brad Binder superar o líder do campeonato e piloto da Yamaha para entrar no top-10. No terceiro giro, Rins passou por Aleix Espargaró para tomar o terceiro lugar.

Martín chegou a disparar seis décimos de vantagem para Zarco, mas o francês apertou o ritmo após começar a ser pressionado por Rins. Mir, com a outra Suzuki, deixou para trás Oliveira para entrar no grupo dos cinco primeiros novamente. Na disputa pelo segundo lugar, Rins chegou a superar Zarco, mas viu o piloto da Pramac recuperar a posição na reta dos boxes.

De tanto pressionar, Rins passou por Zarco na quinta volta, tomando a segunda posição mais uma vez. Quem fazia uma corrida tranquila era Aleix Espargaró, que não conseguia se manter próximo dos três primeiros, mas também não era pressionado por Mir, o quinto colocado. O atual campeão, aliás, seguia atacado por Oliveira.

Na sétima volta, Zarco se valeu mais uma vez da força do motor da Ducati para retomar o segundo lugar, deixando Rins na terceira posição. Mais atrás, Viñales tentava uma recuperação, avançando para o nono lugar ao ultrapassar Oliveira. Quem começou a crescer na corrida foi Francesco Bagnaia, que pulou de sétimo para quinto na abertura do oitavo giro da corrida.

Rins tornou a recuperar a segunda posição na oitava volta, e imediatamente passou a atacar Martín, que não conseguia abrir vantagem para o restante do pelotão. Apesar disso, na abertura da décima volta, Zarco retomou a segunda posição, novamente se valendo da força do motor da Ducati em relação a Suzuki. Aleix Espargaró, por sua vez, se defendia de Bagnaia, o quinto.

O piloto da Aprilia se aguentou no quarto lugar até a abertura do 11º giro, quando foi superado na reta dos boxes por Bagnaia e por Jack Miller, além de Mir, despencando para o sétimo posto. Mais atrás, Viñales e Fabio Quartararo, companheiros de Yamaha, batalhavam pelo oitavo lugar, com o francês se mantendo nesta posição.

Rins errou o contorno de uma das curvas na volta 12 e permitiu a aproximação de Bagnaia, o quarto colocado, permitindo a ultrapassagem na reta dos boxes. Mir, por sua vez, passou por Miller, tomando o quinto lugar após um erro do australiano na aproximação sobre Rins. Na reta dos boxes, Miller e Mir se tocaram, perdendo posições.

Álex Márquez foi o primeiro a abandonar a corrida na 14ª volta, abandonando com a Honda. Outro que parou no chão foi Iker Lecuona, piloto que defende a Tech3, equipe satélite da KTM. Com todos os incidentes, quem apareceu em quarto foi Quartararo, que superou Rins na abertura do 15º giro da corrida em Losail.

Martín abriu quatro décimos de frente para Zarco restando oito voltas para o final da corrida, se mantendo em condições de não ser atacado pelo companheiro de Pramac. Valentino Rossi, porém, decepcionava, e vinha apenas em 18º após largar da 21ª colocação. Quartararo passou a atacar Bagnaia, passando o italiano na abertura da 17ª volta, após um erro do piloto da Ducati.

Sem Bagnaia, que caiu para sétimo, Quartararo passou a ser atacado por Miller, mas se manteve na terceira posição. O piloto da Yamaha passou atacar as duas Pramacs, e chegou a tomar a liderança, mas foi superado por Martín na abertura da volta 19. Algumas curvas depois, o francês retomou a primeira colocação. Mais atrás, Viñales tomou a terceira posição de Zarco.

Com três voltas para o final, Quartararo abriu meio segundo para Martín, que seguia pressionado por Zarco, novamente o terceiro após superar Viñales. Quem se aproximou dos dois foi Rins, que tentava uma recuperação com a Suzuki. Na abertura da volta final, o francês passou pelo companheiro de equipe para tomar a segunda posição.

Quartararo se distanciou do pelotão e seguiu para vencer pela primeira vez na temporada, sendo seguido por Zarco e Martín.

Comentários