Card image
MotoGP
Honda admite conversas com Mir e Rins, mas prega cautela

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 19/05/2022
  • Atualizado: 19/05/2022 às 16:40
  • Por: Willian Teixeira

Com a possível saída da Suzuki da MotoGP no final do ano, podemos considerar que no momento os espanhóis Alex Rins e Joan Mir estão sem vaga para a próxima temporada.

E eles não estão sozinhos nesta situação, pois a maioria dos pilotos do atual campeonato não possuem compromissos com suas equipes para 2023.

É isso mesmo: dos 24 pilotos que correm em 2022, apenas cinco já sabe onde vão correr no ano que vem.

Joan Mir, Alex Rins, Suzuki, MotoGP, Honda
Com a possível saída da Suzuki, Mir e Rins estão em busca de um lugar para correr em 2023 (Foto: Suzuki)

Brad Binder, Marc Márquez e Pecco Bagnaia possuem compromisso com KTM, Honda e Ducati até 2024, enquanto Franco Morbidelli e Raul Fernández estão fechados com Yamaha e KTM até o final de 2023.

O contrato de Rins e Mir com a Suzuki é válido até o fim de 2022 e eles já vinham negociando uma renovação, mas a inesperada saída da marca de Hamamatsu do Mundial de Motovelocidade pegou os dois pilotos de surpresa, e agora eles também estão disponíveis para o ano que vem. Ambos são jovens – o campeão de 2020 tem 24 anos e seu companheiro tem 26 – e já mostraram seu valor na categoria, sempre marcando presença e demonstrando competitividade nas pistas.

LEIA MAIS:
Meikon Kawakami se destaca no Espanhol de Superbike
Número de Rossi, #46 será aposentado pela MotoGP

Tanto que já tem gente de olhos neles, e uma das equipes que fez contato com os dois titulares da Suzuki é a Honda. Recentemente o chefe da equipe de Marc Márquez, Alberto Puig, admitiu ter conversado com Mir e Rins, mas garantiu que não tomará decisões precipitadas.

“Eles queriam conversar com a gente e nós sempre ouvimos os pilotos que nos procuram. Respeitamos o que eles têm a nos dizer. A saída da Suzuki não muda em nada a nossa abordagem. Já decidimos há tempos que iremos analisar com calma a situação e vamos esperar um pouco mais antes de nos decidirmos”, comentou o dirigente. Vale destacar que Pol Espargaró não tem contrato com a Honda para 2023, o que acaba sendo um facilitador para a contratação de um dos jovens pilotos da Suzuki.

Alberto Puig, Honda, MotoGP,
Alberto Puig admitiu ter conversado com os pilotos da Suzuki (Foto: MotoGP)
Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram e no Twitter!

Além da Honda, também existem outras possibilidades para Rins e Mir. De acordo com publicações internacionais, Yamaha, KTM e até mesmo a Aprilia, que pode ter um time satélite em 2023, podem aparecer como destinos dos dois espanhóis. Até mesmo a Suzuki pode continuar com sua dupla, visto que a Dorna já vetou uma rescisão unilateral de contrato e a marca de Hamamatsu possui compromisso com a categoria até 2026.

Após o GP da França, a MotoGP volta às atividades dentro de alguns dias para o GP da Itália, de 27 a 29 de maio no tradicional circuito de Mugello.

Comentários