Card image
Formula 1
Memória Racing: Senna vence em 1993 e se torna o “Rei de Mônaco”

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 23/05/2020
  • Atualizado: 23/05/2020 às 12:11
  • Por: Leonardo Marson

Ayrton Senna se tornou o “Rei de Mônaco” há exatos 27 anos. No dia 23 de maio de 1993, o brasileiro, já tricampeão do mundo, venceu pela sexta vez na carreira – e quinta consecutiva – o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1, se isolando como maior vencedor da história da tradicional corrida realizada nas ruas de Monte Carlo, algo que persiste até os dias de hoje.

Ayrton Senna
Ayrton Senna celebra sexta vitória em Mônaco. (Foto: divulgação)

Senna sempre teve bons desempenhos no traçado monegasco: foi segundo colocado em 1984, quando defendia a mediana Toleman, e conquistou sua primeira vitória três anos mais tarde, com a Lotus. A partir de 1989, já defendendo a McLaren, se tornou imbatível no mais tradicional circuito da principal categoria do automobilismo mundial, enfileirando vitórias.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Apesar do histórico, Senna não era o favorito naquele final de semana, já que a Williams, de Alain Prost, se mostrava melhor que a McLaren naquele início de temporada. O brasileiro ocupava a vice-liderança na tabela de pontos, atrás justamente do francês. Ayrton bateu no primeiro treino do final de semana, e rodou na classificação, ficando em terceiro no grid, atrás do pole Prost e de Michael Schumacher, da Benetton.

LEIA MAIS:

Memória Racing: vitória de Panis em Mônaco completa 26 anos
Memória Racing: há 70 anos, Farina vencia primeira corrida da F1

Senna começou a ver a sorte virar na largada, ao ver Prost queimar a largada e ser punido com um stop and go de dez segundos. O francês ainda deixou o carro morrer nos boxes, perdendo mais tempo. A liderança, então, passou para as mãos de Schumacher, que mantinha uma distância confortável para o brasileiro, que herdou a segunda colocação com a punição do piloto da Williams.

Schumacher se manteve na ponta até a volta 33, quando um problema hidráulico apareceu na Benetton, obrigando o alemão a abandonar a disputa. Senna, então, assumiu a primeira colocação da prova, não saindo mais desta posição, triunfando pela sexta vez no principado. Damon Hill, da Williams, foi o segundo, 52s118 atrás do piloto da McLaren, enquanto Jean Alesi, da Ferrari, completou o pódio.

A zona de pontuação naquele dia ainda contou com Prost, que fechou a corrida com uma volta de atraso em relação ao brasileiro, Christian Fittipaldi, quinto colocado com a Minardi, e Martin Brundle, que faturou um ponto com o sexto lugar obtido com a Ligier. Outro brasileiro naquela corrida, Rubens Barrichello – que completou 21 anos naquele dia, foi o nono colocado com a Jordan.

Quem mais se aproximou de conquistar as seis vitórias em Mônaco foi Michael Schumacher, que triunfou cinco vezes. Entre os pilotos em atividade, o piloto mais vencedor no circuito monegasco é Lewis Hamilton, dono de três triunfos.