Card image
Indy
Palou impede ataque final de Rossi e vence o GP de Portland

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 12/09/2021
  • Atualizado: 12/09/2021 às 19:00
  • Por: Leonardo Marson

Álex Palou venceu neste domingo (12) o Grande Prêmio de Portland, 14ª etapa da temporada da Indy, disputada no Portland International Raceway. O piloto da Chip Ganassi teve um início de corrida conturbado, após largar da pole position e escapar da pista na volta inicial, mas se recuperou, segurou Alexander Rossi nas voltas finais e seguiu para vencer pela terceira vez no atual campeonato.

Álex Palou
Palou venceu pela terceira vez na temporada. (Foto: IndyCar)

A segunda posição ficou com Rossi, piloto da Andretti Autosport que terminou pouco mais de um segundo atrás do vencedor. Scott Dixon, companheiro de equipe de Palou, foi o terceiro, sendo seguido por Jack Harvey, quarto com o carro da Meyer Shank. O grupo dos cinco primeiros foi completado por Josef Newgarden, da Penske.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram! e no Twitter
Acompanhe tudo o que rola no esporte a motor com o Boletim Racing

Felix Rosenqvist colocou a McLaren na sexta colocação ao final das 110 voltas da corrida, sendo seguido por Marcus Ericsson, sétimo com o terceiro carro da Ganassi. Colton Herta foi o oitavo com um equipamento da Andretti Autosport. Scott McLaughlin, da Penske, e Graham Rahal, da RLL, completaram o grupo dos dez melhores.

LEIA MAIS:

Ricciardo toma a liderança na largada e vence o GP da Itália de F1

Único brasileiro no grid, Helio Castroneves teve uma tarde para se esquecer em Portland. O piloto da Meyer Shank se envolveu em um acidente na largada que envolveu outros quatro pilotos, e abandonou a disputa, o que também ocorreu com Romain Grosjean e James Hinchcliffe.

A Indy segue a temporada no próximo domingo (19), com a disputa do Grande Prêmio de Laguna Seca.

Confira como foi a corrida

A corrida em Portland começou com confusão. Álex Palou manteve a primeira posição nos metros iniciais, seguido por Scott Dixon, que veio muito forte. Os dois, além de Felix Rosenqvist, não conseguiram completar a primeira curva e passaram reto. Romain Grosjean, Will Power, Helio Castroneves, James Hinchcliffe e Oliver Askew rodaram e ficaram parados provocando a primeira bandeira amarela da corrida.

Com o acidente, Pato O’Ward, que largou em sétimo, assumiu a liderança da corrida, sendo seguido por Graham Rahal, Ed Jones, Marcus Ericsson e Sébastien Bourdais. Alguns pilotos foram aos boxes na abertura da décima volta, como Palou, Dixon, Rosenqvist e Rossi, que despencaram na classificação.

A relargada veio na volta 12, com os líderes mantendo suas posições. No pelotão de trás, Dalton Kellett passou por Callum Ilott para tomar a 12ª posição, enquanto Dixon passou por Jimmie Johnson para ganhar o 16º lugar. Na frente, O’Ward seguia na liderança, mas com Rahal distante sete décimos. Na briga pelo terceiro lugar, Jones segurava Ericsson, que vinha com mais ação.

Grosjean e Castroneves retornaram para a prova na volta 17, enquanto a surpresa da corrida era Max Chilton, que vinha em sétimo com a Carlin. A rodada de paradas para quem não foi aos boxes na bandeira amarela do começo da corrida começou na volta 21, com Rinus VeeKay fazendo a troca de pneus e reabastecimento. Simon Pagenaud parou na volta 22, e Scott McLaughlin, na 23.

Ryan Hunter-Reay parou na volta 24, retornando à frente de Romain Grosjean. Pouco depois, o francês tentou descontar uma volta, mas acabou saindo da pista. Chilton foi aos boxes na volta 27, quando era o sétimo colocado. Ilott, fazendo sua estreia na categoria americana, apareceu na oitava posição no complemento da 28ª volta.

Líder da corrida, O’Ward foi aos boxes na volta 30, o que foi repetido por Bourdais. Rahal assumiu a liderança da prova. Ilott visitou os boxes no giro 31. Rahal, por sua vez, abriu quatro segundos de vantagem sobre Jones, que seguia pressionado por Ericsson. Um pouco mais atrás, Dixon pressionava Newgarden em disputa pela sexta posição.

Rahal foi para os boxes na volta 36, e retornou imediatamente à frente de O’Ward, na 14ª colocação. Ericsson entrou para a troca de pneus e reabastecimento na volta seguinte. Jones parou nos boxes na volta 38, cedendo a ponta para Harvey. Sato e Newgarden pararam na volta 40, e Harvey, na 41. Dixon assumiu a liderança da prova, seguido por Palou e Rossi.

Ericsson passou por Harvey na volta 42, tomando a 14ª posição, enquanto Daly, que vinha em quarto, partiu para a segunda parada nos boxes. Dixon, Rossi e Herta pararam na volta 44, enquanto Palou, Rosenqvist e Power trocaram pneus e reabasteceram na volta 45. Mais atrás, Herta e Power se estranharam, mas seguiram na prova, com o piloto da Andretti ficando à frente.

Rahal voltou à liderança da corrida, carregando uma vantagem de 2s8 para O’Ward na volta 47. McLaughlin aparecia em terceiro, seguido por Pagenaud e Jones. Três giros depois, Callum Ilott parou na pista, abandonando a corrida. Na volta seguinte, outro piloto abandonou a prova: Dalton Kellett. O’Ward, McLaughlin, Pagenaud, Ericsson e Bourdais visitaram os boxes, e a bandeira amarela foi acionada na sequência.

A relargada veio na volta 58, com Rossi superando de uma vez Newgarden e Dixon para tomar a quinta posição. Já O’Ward foi superado por McLaughlin, caindo para o 14º lugar. Rahal manteve a liderança nas voltas seguintes, apenas um segundo à frente de Jones, o segundo colocado. Palou, por sua vez, sofria com os ataques de Rossi.

Dixon viu Takuma Sato partir para o ataque na volta 65, mas conseguiu se defender e manter a 65ª volta. Quatro voltas depois, Ilott retornou à prova, diversas voltas atrás dos líderes. Rahal seguia na liderança da prova na volta 70, sempre seguido por Jones e Harvey. Palou, mesmo com Rossi próximo, se mantinha em quarto sem sofrer ataques. O’Ward vinha apenas na 15ª posição.

Na volta 75, Rahal foi para os boxes, sendo seguido por Jones. Harvey tomou a liderança da corrida. Duas voltas depois, Harvey, Newgarden e Sato também fizeram suas paradas. Palou assumiu a liderança da corrida, enquanto Harvey voltou à frente do piloto do carro número 15 da RLL. Rossi fez sua última parada nos boxes na volta 79, voltando à pista à frente de Harvey.

Palou e Herta partiram para a última troca de pneus e reabastecimento na volta 80, enquanto Newgarden superou Rahal para tomar a 14ª posição. Dixon, Rosenqvist e Power pararam no giro 81. Na volta 84, O’Ward visitou os boxes para sua última parada, enquanto McLaghlin, também necessitando de um pit stop, seguia na liderança.

McLaughlin, Pagenaud e Bourdais pararam na volta 86, enquanto Ericsson entrou nos boxes no giro seguinte, no mesmo momento em que Simon Pagenaud rodou após um toque de Will Power, causando a terceira bandeira amarela da corrida. Palou liderava, seguido por Rossi, Dixon, Harvey e Newgarden.

A relargada veio na volta 90, com Oliver Askew rodando após toque de Sébastien Bourdais, causando a quarta bandeira amarela. A prova recomeçou na volta 93, com Power superando O’Ward para tomar a 13ª posição. Bourdais tentou o ataque sobre Johnson, mas tomou o X do heptacampeão da Nascar, seguindo em 20º. Na volta seguinte, o francês conseguiu a manobra de ultrapassagem.

Palou seguia na liderança, mas passou a ser pressionado por Rossi, que trouxe a diferença para meio segundo restando 12 voltas para o final da prova. O espanhol, porém, voltou a abrir vantagem duas voltas depois, se aproveitando de um erro do americano da Andretti Autosport. Palou seguiu para a vitória, seguido por Rossi e Dixon.

Comentários