Card image
Indy
McLaughlin impede ataque de Palou e vence em São Petersburgo

6 Minutos de leitura

  • Publicado: 27/02/2022
  • Atualizado: 27/02/2022 às 16:38
  • Por: Leonardo Marson

Scott McLaughlin venceu neste domingo (27) o Grande Prêmio de São Petersburgo, corrida que abriu a temporada 2022 da Indy. O neozelandês da Penske largou da pole position, acertou a estratégia ao longo das cem voltas de disputa no circuito montado nas ruas da cidade localizada na Florida, e segurou Álex Palou para vencer pela primeira vez na categoria.

Scott McLaughlin
Scott McLaughlin venceu pela primeira vez na Indy. (Foto: IndyCar)

A segunda posição acabou nas mãos de Palou, atual campeão e piloto da Chip Ganassi, que largou em décimo e escalou o pelotão com ultrapassagens e um bom trabalho do time na primeira parada nos boxes. Will Power, com outro carro da Penske, terminou em terceiro, sendo seguido por Colton Herta, quarto com a Andretti Autosport. O top-5 foi fechado por Romain Grosjean, também da Andretti.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram! e no Twitter
Acompanhe tudo o que rola no esporte a motor com o Boletim Racing

Rinus VeeKay, que perdeu desempenho nas voltas finais, acabou a prova na sexta posição com o carro da Carpenter, sendo seguido por Graham Rahal, sétimo com um equipamento da RLL. Scott Dixon foi o oitavo com outro carro da Chip Ganassi, ficando à frente de Marcus Ericsson, seu companheiro de equipe. Takuma Sato, da Dale Coyne, foi o décimo.

LEIA MAIS:

Indy: McLaughlin voa no final e garante pole em São Petersburgo
McLaughlin lidera segundo treino da Indy em São Petersburgo
Grosjean lidera primeiro treino da Indy em São Petersburgo

Helio Castroneves teve uma corrida discreta em sua reestreia como piloto titular. O piloto chegou a andar em 12º na metade da prova, e mirou o top-10 com o carro da Meyer Shank, mas terminou com a 14ª colocação.

A próxima etapa da Indy será disputada no dia 20 de maio, no Texas Motor Speedway, naquela que será a primeira corrida da temporada em um circuito oval.

Confira como foi a corrida

A primeira etapa da Indy começou com Scott McLaughlin mantendo a primeira colocação, enquanto Colton Herta avançou para o segundo lugar, se aproveitando de péssima largada de Will Power, que foi superado também por Rinus VeeKay e despencou para o quarto lugar. Marcus Ericsson ganhou três posições e avançou para o quinto lugar. Helio Castroneves se manteve em 17º.

McLaughlin rapidamente começou a abrir vantagem, disparando um segundo em relação a Herta logo na terceira volta. O americano da Andretti Autosport, porém, conseguia manter a vantagem do neozelandês nesta marca. Mais atrás, Castroneves acabou superado por Felix Rosenqvist na sexta volta, caindo para o 18º lugar.

Jack Harvey procurou os boxes logo na oitava volta da prova, o que foi repetido por Castroneves na volta seguinte, e por Josef Newgarden, no décimo giro. As paradas nos boxes seguiram com Kyle Kirkwood trocando pneus e reabastecendo na volta 11, e Scott Dixon, na volta 12, enquanto Pato O’Ward parou na volta 13. Todos eles colocaram pneus duros.

Na frente, McLaughlin passou a abrir vantagem sobre Herta, alcançando os 2s6 na 14ª volta. Power, único a largar com pneus duros no pelotão da frente, passou a pressionar VeeKay em disputa valendo a terceira posição, conseguindo a ultrapassagem na 16ª volta. O australiano da Penske rapidamente passou a descontar a vantagem para Herta.

Sem ritmo, VeeKay passou a ser atacado por Ericsson, que ganhou a quarta posição na volta 18. Na abertura da volta seguinte, foi a vez de Romain Grosjean passar pelo holandês, que foi superado também por Álex Palou e por Graham Rahal, despencando para o oitavo lugar. Já Power passou sem dificuldades Herta para avançar ao segundo lugar.

Depois de virar presa fácil aos rivais, VeeKay foi aos boxes na volta 21. Power seguiu descontando a vantagem para McLaughlin, trazendo-a para 2s5 na volta 25, no mesmo momento em que David Malukas acertou o muro e trouxe a primeira bandeira amarela da corrida. McLaughlin liderava, seguido por Power, Herta, Ericsson e Grosjean. Castroneves aparecia em 21º.

Após as paradas nos boxes, McLaughlin retornou à frente de Power, enquanto Palou ganhou posições e foi o terceiro a deixar o pit lane. Castroneves aproveitou para fazer sua segunda parada. Pilotos que, ou não foram aos boxes, ou pararam em bandeira verde avançaram para as primeiras posições. Rossi era o líder, seguido por Dixon, o’Ward, Newgarden e Pagenaud. McLaughlin aparecia em 13º.

O acidente de Malukas moveu um dos blocos de concreto que demarcam a pista, o que causou uma bandeira amarela mais longa do que o normal. Já Marcus Ericsson foi punido por um contato com Graham Rahal na saída dos boxes. A relargada em São Petersburgo foi acionada na volta 34, com VeeKay superando Kellett para tomar a nona posição, enquanto Palou superou Power para tomar o 13º posto.

Rossi foi para os boxes na volta 38, cedendo a liderança da corrida para Dixon, que por sua vez era seguido de perto por O’Ward, o segundo colocado. Mais atrás, Herta passou por Power, ganhando a 13ª colocação. Pouco depois, Newgarden fez sua segunda troca, na volta 42, enquanto Pagenaud e Rosenqvist pararam nos boxes no 43º giro.

Apesar de ver os rivais indo aos boxes, Dixon seguia na pista com 3s5 de frente para O’Ward. Já McLaughlin, com pneus mais novos, aparecia em quinto, com Palou muito próximo. O mexicano da McLaren partiu para sua segunda parada na volta 48, despencando para a 17ª posição. Na volta seguinte, foi a vez de o neozelandês da Chip Ganassi parar nos boxes.

VeeKay tomou a liderança da corrida após a parada nos boxes de Dixon, sendo seguido por Callum Ilott e por McLaughlin. O piloto da Juncos Hollinger passou a se aproximar do líder da prova, enquanto o neozelandês da Penske atuava em compasso de espera ante os dois líderes. Na volta 57, Kellett abandonou a disputa, enquanto Castroneves passou por Johnson, tomando o 13º lugar.

Ilott foi para os boxes na volta 58, enquanto Tatiana Calderón escapou da pista, sem causar grandes consequências para a prova. Já Johnson passou a ser escalado pelos concorrentes, despencando na classificação. VeeKay, por sua vez, passou a ser pressionado por McLaughlin na volta 62, mas seguia na liderança da prova. O holandês se dirigiu aos boxes na volta seguinte.

Herta visitou os boxes na volta 64, enquanto McLaughlin fez sua troca de pneus e reabastecimento no giro seguinte. Na volta 66, muitos pilotos fizeram seus pit stops, entre eles Palou, Grosjean e Harvey. Power e Castroneves pararam nos boxes na volta 67, enquanto Dixon retomou a liderança da corrida, seguido por O’Ward e McLaughlin. Newgarden fez nova parada na volta 69.

Depois de fazer uma parada para colocar pneus macios, Ilott retornou aos boxes na volta 70 para trocar os pneus pelos compostos duros, sendo seguido por Rosenqvist, Daly e DeFrancesco. Kellett, que retornou à pista, passou reto em uma das curvas, mas voltou para a pista, enquanto O’Ward entrou nos boxes para sua última parada nos boxes.

Dixon se mantinha na pista restando 24 voltas para o final da prova, mas com a necessidade de fazer mais um pit stop. Já McLaughlin, o segundo colocado, estava tranquilo com relação a combustível e tinha pouco mais de dois segundos de frente em relação a Palou, o terceiro colocado. Castroneves, por sua vez, seguia em 14º com o carro da Meyer Shank.

Power passou por VeeKay para tomar a quarta posição da prova, enquanto Dixon foi aos boxes quando restavam 21 giros para o encerramento da corrida, caindo para a oitava posição, enquanto McLaughlin retornou à liderança, seguido de perto por Palou. Power aparecia em terceiro, seguido por VeeKay e Herta, que completava o top-5.

Depois de McLaughlin tentar abrir frente, Palou cortou a distância para menos de dois segundos quando restavam 15 voltas para o final da prova. O líder da prova acabou preso atrás de Johnson na reta principal, e o atual campeão se aproximou do líder. Os dois, então, começaram a batalhar pela primeira colocação, enquanto Power buscava se aproximar dos dois.

Palou seguia tentando se aproximar para tentar um ataque sobre McLaughlin nas dez voltas finais, enquanto Power não conseguia se aproximar dos ponteiros. Um pouco mais atrás, Rahal partiu para o ataque sobre Herta, em disputa valendo a quinta posição. Apesar disso, o americano da Andretti passou por VeeKay, tomando o quarto lugar.

O holandês da Carpenter seguiu despencando, e acabou superado por Grosjean, caindo para o sexto lugar. Já McLaughlin ficou preso atrás de Devlin DeFrancesco, e voltou a ser pressionado por Palou. Os dois entraram na volta final muito próximos, mas o neozelandês seguiu para vencer.

Comentários