Card image
Competições
Dominante, Dixon vence na abertura da Indy no Texas

6 Minutos de leitura

  • Publicado: 06/06/2020
  • Atualizado: 06/06/2020 às 23:37
  • Por: Leonardo Marson

Scott Dixon venceu na noite deste sábado (6) a Texas 300, corrida que abriu a temporada 2020 da Indy. O neozelandês da Chip Ganassi foi dominante ao longo das 200 voltas da corrida disputada no Texas Motor Speedway, em Fort Worth, e garantiu a 47ª vitória na prova em que iniciou seu 20º ano na mais importante categoria de monopostos dos Estados Unidos.

Scott Dixon
Dixon liderou a maior parte da corrida e chegou a 47ª vitória na carreira. (Foto: IndyCar)

Dixon esteve na maior parte da corrida na liderança, mas precisou conter a aproximação de seu companheiro de equipe, Felix Rosenqvist, ao ter dificuldades em superar alguns retardatários. Quando restavam dez voltas para o final da corrida, porém, o sueco parou no muro ao tentar superar um retardatário. Então, o veterano apenas seguiu para vencer a primeira corrida da temporada.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Simon Pagenaud ficou com a segunda colocação com o carro da Penske, sendo seguido por Josef Newgarden, seu companheiro de equipe e atual campeão da Indy. Zach Veach fez ótima corrida com o carro da Andretti Autosport e terminou a prova em quarto, sendo seguido por Ed Carpenter, que apareceu na parte final da corrida para completar o grupo dos cinco primeiros.

LEIA MAIS:

Newgarden fatura a pole position para a Texas 300 da Indy
Dixon lidera treino livre acidentado da Indy no Texas
Confira o guia da temporada 2020 da Indy

Conor Daly levou o carro da Carlin ao sexto lugar ao final das 200 voltas, sendo seguido por Colton Herta, que teve uma estreia tímida na Andretti. Ryan Hunter-Reay se recuperou de um problema no carro no início da corrida e terminou em oitavo com mais uma carro da Andretti, enquanto Oliver Askew fez uma boa corrida com a McLaren para terminar em nono.

Iniciando sua última temporada na Indy, Tony Kanaan terminou com a décima colocação após fazer uma corrida de recuperação. O brasileiro da AJ Foyt se manteve em nono até a segunda rodada de pit stops, quando acabou punido e foi para o final do pelotão. Depois de ficar uma volta atrás, o “bom baiano” voltou ao giro do líder na última relargada, quando restavam três voltas, e salvou o décimo posto.

Além do acidente com Rosenqvist, a corrida teve outras três bandeiras amarelas. A primeira aconteceu após Rinus VeeKay acertar o muro e coletar Álex Palou. Depois, o Safety Car foi acionado por detritos na pista. Por fim, Charlie Kimball, que chegou a aparecer entre os cinco primeiros, rodou na última volta, causando uma bandeira amarela que, na prática não existiu.

A próxima etapa da Indy acontece no dia 4 de julho, no circuito misto do Indianapolis Motor Speedway.

Confira como foi a corrida

Antes da largada, diversos pilotos tiveram problemas. Alexander Rossi e Ryan Hunter-Reay, companheiros de equipe Andretti Autosport, não conseguiram sair à pista no mesmo momento que os outros competidores. O mesmo aconteceu com Graham Rahal, da Rahal Letterman Lanigan, que ainda manteve nos boxes Takuma Sato, que bateu na classificação.

Quando a largada foi finalmente autorizada, Newgarden manteve a primeira colocação, sendo seguido por Dixon, que manteve a posição em disputa com Pagenaud. Um pouco mais atrás, Tony Kanaan ganhou duas posições, assumindo a oitava colocação. Rossi e Hunter-Reay, apesar de todos os problemas, conseguiram largar, mas acabaram punidos por não respeitarem o regime de parque fechado.

Andretti superou Kanaan para tomar a oitava colocação, enquanto Newgarden mantinha a liderança com uma distância pequena para Dixon. Pagenaud, por sua vez, se mantinha mais distante dos dois primeiros. Na 12ª volta, Graham Rahal, que iniciou sua corrida após a largada, retornou aos boxes com problemas no carro preparado pela Rahal Letterman Lanigan.

A corrida ganhou um novo cenário na volta 26, quando Newgarden passou a ter dificuldades de superar o retardatário Jack Harvey, permitindo a aproximação dos rivais. No 32º giro, Dixon fez a ultrapassagem sobre o atual campeão, que foi aos boxes no giro seguinte. Duas passagens depois, o neozelandês e todos os outros pilotos fizeram suas paradas, já que há a obrigatoriedade de se parar a cada 35 voltas.

A primeira bandeira amarela foi acionada na 37ª volta, quando Rinus VeeKay rodou sozinho, e coletou Álex Palou, que tentava escapar do acidente. Dixon aparecia na liderança após a rodada de paradas nos boxes, sendo seguido por Newgarden, Pagenaud, Rosenqvist e Veach. Kanaan perdeu duas posições após as paradas e caiu para a décima posição.

A relargada veio na volta 47, e Kanaan precisou pagar uma punição, caindo para a 17ª colocação, enquanto Dixon passou a abrir vantagem sobre Newgarden, que passou a ser pressionado por Pagenaud. Com a disputa pelo segundo lugar, quem começou a se aproximar dos dois pilotos da Penske foi Rosenqvist, que ainda não tinha condições de buscar um ataque pelo segundo posto.

Newgarden conseguiu desgarrar de Pagenaud, que passou a ser atacado por Rosenqvist na 64ª volta. Dixon, por sua vez, ampliou sua vantagem para quatro segundos em relação ao atual campeão. Na 76ª passagem, Rosenqvist deixou para trás o atual vencedor das 500 Milhas de Indianápolis. No giro seguinte, a bandeira amarela foi acionada pela segunda vez na prova por conta de detritos na pista.

Na rodada de paradas nos boxes, Newgarden tomou a liderança da prova, sendo seguido por Rosenqvist e Dixon. Will Power, por sua vez, viu sua equipe de boxes se atrapalhar, perdendo muito tempo em seu pit stop. Tony Kanaan perdeu mais duas posições após a rodada de paradas nos boxes e despencou para a 19ª colocação.

A relargada aconteceu na volta 87, com Dixon superando por fora Rosenqvist, tomando a segunda colocação. Quatro voltas depois, o neozelandês reassumiu a liderança com outra manobra pela linha de fora, agora sobre Newgarden. O piloto da Penske, então, passou a se preocupar com os ataques do dono do carro número 10 da Chip Ganassi, ue buscava o segundo posto.

Quem passou a lutar por um lugar no top-5 foi Charlie Kimball, piloto da AJ Foyt que começou a pressionar Veach. A corrida chegou a metade com Dixon carregando umav vantagem de 2s6 em relação a Newgaren, que seguia pressionado por Rosenqvist. Mais atrás, Kanaan superou Harvey para tomar a 18º colocação da corrida no circuito em Fort Worth.

A terceira rodada de paradas nos boxes foi aberta na volta 118 por Colton Herta, enquanto Newgarden passou a perder posições, sendo ultrapassado por Rosenqvist e Pagenaud antes de visitar os boxes, no giro 121, mesmo momento que Kanaan. Dixon e Rosenqvist fizeram seus pit stops na passagem seguinte. Neste momento, o top-5 tinha Dixon, Rosenqvist, Pagenaud, Newgarden e Kimball.

Newgarden perdeu desempenho e acabou superado por Kimball e Veach, caindo para o sexto lugar. Dixon, por sua vez, não conseguia dar uma volta sobre Will Power, e viu Rosenqvist descontar rapidamente a diferença para o líder. Outro que ficou preso atrás de um retardatário foi Pagenaud, que passou a receber o ataque do único piloto em tempo integral da AJ Foyt. Uma volta atrás, Kanaan aparecia em 17º.

Sem que ultrapassagens acontecessem na pista, os pilotos partiram para mais uma rodada de pit stops, mais uma vez sendo iniciada por Herta, na volta 153. Newgarden parou no giro seguinte, enquanto Daly e Veach pararam na volta 155. Dixon e Rosenqvist pararam na 156ª passagem, enquanto Pagenaud foi para a parada uma volta depois. Já Santino Ferrucci rodou nos boxes após perder um pneu.

Dixon ficou preso atrás de Alexander Rossi, retardatário, e viu Rosenqvist se aproximar de vez ao cortar a diferença para menos de um segundo. Newgarden voltou ao terceiro lugar, sendo seguido por Veach e Carpenter. Uma volta atrás dos líderes, Kanaan aparecia na 16ª posição.

A última rodada de paradas nos boxes foi aberta por Newgarden quando restavam 18 voltas para o final. Pagenaud trocou pneus e reabasteceu no giro seguinte, enquanto Rosenqvist, parou restando 14 voltas, duas antes de Dixon. Ao tentar se aproximar do companheiro de equipe, o sueco perdeu o controle do carro e acertou o muro, provocando a terceira entrada do Safety Car na prova.

A relargada final veio com três voltas para o final, e Dixon não teve trabalho para manter o primeiro lugar e seguir para a vitória. Pagenaud e Newgarden completaram o top-3, enquanto Kanaan, de volta ao giro do líder, terminou em décimo. Ainda houve tempo para Kimball acertar o muro.