Card image
Indy
Dixon impede ataque de McLaughlin e vence no Texas

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 01/05/2021
  • Atualizado: 01/05/2021 às 22:26
  • Por: Leonardo Marson

Scott Dixon venceu neste sábado (1) a primeira corrida da rodada dupla da Indy disputada no Texas Motor Speedway. O veterano da Chip Ganassi tomou a liderança da corrida na terceira volta e, salvo nos momentos em que foi aos boxes, esteve sempre na liderança da corrida. Nas voltas finais, o atual campeão impediu a aproximação dos rivais, garantindo sua primeira vitória no ano.

Scott Dixon
Dixon venceu pela primeira vez na temporada. (Foto: IndyCar)

A segunda colocação ficou com outro neozelandês, Scott McLaughlin, piloto da Penske que completou a corrida 0s2646 atrás de Dixon. Pato O’Ward, com um carro da McLaren, foi o terceiro, sendo seguido por Alex Palou, companheiro de Dixon na Chip Ganassi. O grupo dos cinco primeiros foi completado por Graham Rahal, da RLL.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Josef Newgarden fechou a corrida com a sexta colocação com a Penske, sendo seguido por Jack Harvey, sétimo com o equipamento da Meyer Shank. Alexander Rossi foi o melhor piloto da Andretti Autosport na corrida, acabando em oitavo. O grupo dos dez melhores ainda contou com Takuma Sato, da RLL, e Simon Pagenaud, da Penske.

LEIA MAIS:

Bottas derrota Hamilton e fatura a pole position em Portugal

Os brasileiros Tony Kanaan e Pietro Fittipaldi fizeram boas corridas, mesmo não entrando no top-10. O veterano, que correu com um quarto carro da Ganassi, chegou a andar em sétimo, mas perdeu rendimento, terminando na 11ª colocação. Já o brasileiro da Dale Coyne completou a prova na 15ª posição, depois de também andar entre os dez melhores.

A prova contou com duas entradas do Safety Car. A primeira delas aconteceu após Sébastien Bourdais parar no muro ao ser tocado por Josef Newgarden. O francês teve de diminuir o ritmo após Colton Herta reduzir a velocidade para ir aos boxes. Depois, James Hinchcliffe perdeu o controle do carro ao tomar uma volta de Felix Rosenqvist e acertar o muro.

A Indy volta a correr no Texas já neste domingo (2), a partir das 18h, com uma corrida de 248 voltas. A TV Cultura transmite a prova ao vivo.

Confira como foi a corrida

A prova no Texas Motor Speedway começou com Alex Palou mantendo a primeira colocação nos metros iniciais, enquanto Scott Dixon deixou Will Power para trás, avançando para o segundo lugar. Colton Herta e Jack Harvey completavam o grupo dos cinco primeiros. Pietro Fittipaldi caiu duas posições e completou o primeiro giro em 16º, enquanto Tony Kanaan avançou para o 19º posto.

Logo na terceira volta, Dixon superou Palou para tomar a liderança da corrida pela primeira vez. O espanhol, por sua vez, não permitia a aproximação do australiano da Penske. Kanaan perdeu uma posição, caindo para o 20º lugar, enquanto, na décima volta, Fittipaldi foi ultrapassado por Ed Carpenter, caindo para o 17º lugar.

Andando em fila indiana, a corrida chegou à volta 20 com poucas ultrapassagens. Apesar disso, a dupla da Ganassi, nas duas primeiras posições, abriu vantagem de 1s5 para Power, o terceiro. Dixon passou a abrir vantagem em relação a Palou a partir da volta 32, alcançando nove décimos de frente neste momento.

Na volta 42, Pato O’Ward abriu ataque sobre Graham Rahal, em disputa valendo a 12ª colocação. Mais atrás, Kanaan conseguiu a ultrapassagem sobre Rosenqvist, ganhando o 19º lugar. Na volta 53, Rahal abriu a janela de paradas nos boxes. Dixon, por sua vez, passou a ter dificuldades com os retardatários, permitindo a aproximação de Palou.

Em meio a primeira janela de paradas nos boxes, a bandeira amarela foi acionada na volta 57, após Josef Newgarden tocar Sébastien Bourdais, que diminuiu a velocidade ao se aproximar de um adversário. O francês rodou e foi para o muro, abandonando a disputa. Os líderes entraram nos boxes apenas na 65ª volta, com Dixon mantendo a ponta, Kanaan subindo para nono, uma posição à frente de Fittipaldi.

Newgarden foi punido e relargou das últimas posições, enquanto a bandeira verde foi acionada no 72º giro. Kanaan avançou para a sétima colocação ao superar Rinus VeeKay, enquanto Fittipaldi despencou da nona para a 11ª posição em seis voltas. Na frente, Dixon seguia com uma vantagem pequena, mas confortável para Palou, enquanto Herta seguia em terceiro.

Quem começou a perder desempenho foi VeeKay, que acabou superado por Rosenqvist, Fittipaldi e Marcus Ericsson, despencando para o 12º lugar. Na volta 103, Herta passou a reclamar de vibração em seu carro, enquanto Kanaan perdeu ritmo, se distanciando de Scott McLaughlin, o sexto colocado. Quem se aproveitou foi Ed Jones, que encostou no brasileiro da Ganassi.

A corrida chegou à metade com Dixon nove décimos à frente de Palou. Na volta 111, O’Ward foi para os boxes pela segunda vez na corrida. Kanaan, por sua vez, se distanciou de Jones, após receber ataques do emiratense. O veterano, porém, se viu sete segundos atrás de McLaughlin. Newgarden e Pagenaud pararam na volta 116, enquanto Rosenqvist fez seu pitstop na volta 117.

Sem rendimento, Kanaan acabou ultrapassado por Jones na volta 121, e foi aos boxes na passagem seguinte. Entre os líderes, Rossi e Harvey trocaram pneus e reabasteceram no 125º giro, enquanto Dixon foi para a parada na volta 126. Herta parou na 127, e Palou, na 128. Fittipaldi parou na volta 131, fechando a janela de paradas.

Dixon retomou a liderança, mas agora seguido por Rosenqvist. O piloto da McLaren descontou uma vantagem de mais de quatro segundos e passou a atacar o veterano da Ganassi na volta 145. McLaughlin aparecia em terceiro, seguido por Palou e O’Ward. Kanaan recuou para 14º, e Fittipaldi, para a 17ª posição.

VeeKay voltou a perder rendimento, e foi superado na mesma manobra por Takuma Sato e por Kanaan, caindo para o 14º lugar. O holandês visitou os boxes pouco depois. Na frente, McLaughlin abriu ataque sobre Rosenqvist em disputa pela segunda colocação, enquanto Dixon voltou a abrir vantagem em relação aos rivais.

A bandeira amarela foi acionada pela segunda vez na volta 160, quando James Hinchcliffe parou no muro após tomar uma volta de Rosenqvist. Os pilotos foram aos boxes no 165º giro, com Dixon mantendo a primeira posição. Outro carro da Ganassi, Marcus Ericsson rodou nos boxes após deixar sua posição sem uma roda no carro. Após auxílio da equipe, o piloto teve a roda colocada e retornou à pista.

Dixon seguiu na ponta, seguido agora por McLaughlin. O’Ward, Palou e Herta fechavam a lista dos cinco primeiros, enquanto Rosenqvist caiu para a 12ª posição. Kanaan seguia em 13º, enquanto Fittipaldi avançou para o 15º lugar. A relargada veio quando restavam 38 voltas para o encerramento da corrida, com o atual campeão mantendo a ponta.

No pelotão intermediário, Newgarden conseguiu linda ultrapassagem por fora sobre Harvey, que também acabou superado por Rahal. O dono do carro número 15 passou pelo bicampeão na sequência, tomando o sexto posto. Mais atrás, Kanaan deixou Rosenqvist para trás, assumindo o 12º lugar. Na frente, Dixon tinha seis décimos de frente para McLaughlin.

Herta foi aos boxes restando 23 voltas para o final com problemas no disco de freio, que começou a pegar fogo. O americano abandonou a disputa. Dixon seguia na frente, controlando as tentativas de aproximação de McLaughlin, que também era pressionado por O’Ward. Kanaan, por sua vez, tentava aproximação sobre Simon Pagenaud, o décimo colocado.

McLaughlon cortou a vantagem para Dixon quando restavam seis voltas para o final, mas não conseguiu um ataque sobre o compatriota. Assim, o veterano da Ganassi garantiu a vitória, deixando o piloto da Penske em segundo. O’Ward foi o terceiro, sendo seguido por Palou e Rahal. Kanaan foi o 11º e Fittipaldi, o 15º.

Comentários