Card image
Competições
Bourdais, Duval e Vautier vencem as 12 Horas de Sebring

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 21/03/2021
  • Atualizado: 25/03/2021 às 16:34
  • Por: Leonardo Marson

Sébastien Bourdais, Loïc Duval e Tristan Vautier venceram neste sábado (20) a 69ª edição das 12 Horas de Sebring, segunda etapa da temporada 2021 da IMSA, disputada no Sebring International Raceway. O trio do Cadillac da JDC-Miller tomou a liderança na penúltima hora da prova, e suportou aos ataques dos adversários nas últimas relargadas para vencer no circuito de pouco mais de seis mil metros.

Sébastien Bourdais
Sébastien Bourdais fechou a corrida para a JDC-Miller. (Foto: Michael Levitt)

O trio, que chegou a sofrer um acidente quando Felipe Nasr perdeu o controle do Cadillac da Action Express e acertou Vautier, andou na maior parte da prova com uma volta de atraso para os líderes. As bandeiras amarelas ajudaram e Bourdais colocou o time na frente na penúltima hora, aproveitando um erro de Scott Dixon, que bateu em um retardatário ao tentar entrar nos boxes.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

O francês com passagem pela Fórmula 1 e que atua na Indy soube segurar os ataques de seus rivais, e se aproveitou de uma disputa pelo segundo lugar entre Harry Tincknell, da Mazda, e Kamui Kobayashi, com um Cadillac da Chip Ganassi, para abrir uma pequena vantagem que lhe valeu a vitória na mais tradicional corrida de endurance dos Estados Unidos.

LEIA MAIS:

Sebring: Dixon lidera restando duas horas para o final
Mazda lidera em Sebring após oito horas de corrida
Chip Ganassi lidera as 12 Horas de Sebring na metade da corrida
Mazda aparece na frente após quatro horas em Sebring
Ricky Taylor lidera as 12 Horas de Sebring após duas horas

Ticknell, que correu ao lado de Jonathan Bomarito e Oliver Jarvis, terminou a prova em segundo, distantes 1s435 de Bourdais, Duval e Vautier. Kobayashi, que teve como parceiros Jimmie Johnson e Simon Pagenaud, foi o terceiro, sendo seguido pelo Acura da Meyer Shank conduzido por Dane Cameron, Juan Pablo Montoya e Olivier Pla. O top-5 ainda contou com a Wayne Taylor Racing, que teve Alexander Rossi, Ricky Taylor e Filipe Albuquerque em um Acura.

Únicos brasileiros na corrida, já que Helio Castroneves não foi escalado pela Wayne Taylor, Pipo Derani, Felipe Nasr, além de Mike Conway, tiveram uma corrida para se esquecer. Logo no início, Derani parou no muro após uma manobra de um GT. Depois, Nasr bateu em Vautier. Por fim, Conway teve problemas com o Cadillac da Action Express e abandonou a corrida.

Pela classe LMP2, a vitória ficou com o trio da PR1/Mathiasen, formado por Ben Keating, Mikkel Jensen e Scott Huffaker, que lideraram a corrida praticamente inteira. Ryan Dalziel, Kyle Tilley e Dwight Merriman, da Era Motorsport, ficaram com a segunda posição, enquanto Guy Smith, James McGuire e Wayne Boyd completaram o pódio com um protótipo da United Autosport.

Nesta classe aconteceu o acidente mais forte da corrida. Tim Buret perdeu o controle do carro da Tower Motorsport na décima hora e bateu contra a barreira de pneus, capotando o protótipo. Apesar da violência do impacto, o piloto deixou o protótipo por conta própria e não sofreu lesões mais graves. A corrida foi neutralizada em bandeira amarela.

Na LMP3, a vitória ficou com Colin Braun, Jon Bennett e George Kurtz, trio da Core Autosport que superou os dois protótipos da Riley Motorsports, líderes na maior parte do tempo. Jeroen Bleekemolen, Jim Cox e Dylan Murry foram os segundos colocados, sendo seguidos por Gar Robinson, Spencer Pigot e Scott Andrews, que completaram o pódio.

Matthieu Jaminet, Cooper MacNeil e Matt Campbell venceram a prova entre os competidores da GT Le Mans. O trio, que correu com um Porsche da WeatherTech Racing, se aproveitou de um toque entre Antonio García e Connor De Phillippi para tomar a liderança na última meia hora da prova. A BMW de De Phillippe, Phillip Eng e Bruno Spengler acabou com a segunda colocação.

Augusto Farfus esteve na briga pela vitória até a 11ª hora da prova, quando a BMW número 24 preparada pela Rahal Letterman Lanigan – mesma equipe dos segundos colocados – teve um princípio de incêndio. Ainda assim, o time que ainda contou com Jesse Krohn e John Edwards, terminou em terceiro, à frente do Corvette de García, Jordan Taylor e Nicky Catsburg.

Pela GT Daytona, Laurens Vanthoor, Zacharie Robichon e Lars Kern venceram com um Porsche da Pfaff Motorsports. Vanthoor precisou conter os ataques de Jan Heylen, parceiro de Patrick Long e Trent Hindmann em um Wright Motorsport para levar a vitória. Ian James, Roman de Angelis e Ross Gunn, com um Aston Martin da Heart of Racing, completou o pódio.

Bia Figueiredo, que fez um trio feminino com Katherine Legge e Christina Nielsen, terminou com a quinta posição com um Porsche da Hardpoint. O resultado poderia ter sido ainda melhor, já que Legge completou a prova em terceiro. Uma punição aplicada quando restavam 12 minutos para o final da corrida jogou o time para a quinta posição.

A próxima etapa da IMSA será disputada já na próxima semana, no circuito da Virginia, em corrida restrita aos carros de GT. Os protótipos voltam a ação no dia 24 de abril, no circuito de rua de São Petersburgo.

Comentários