Card image
Fórmula E
Oliver Rowland vence de ponta a ponta em Berlim

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 12/08/2020
  • Atualizado: 12/08/2020 às 15:19
  • Por: Leonardo Marson

Oliver Rowland venceu nesta quarta-feira (12) a penúltima etapa da temporada 2019/2020 da Fórmula E. O inglês, piloto da Nissan e.dams, largou da pole position no circuito montado no aeroporto de Tempelhof, em Berlim, e jamais foi ameaçado pelos rivais, conquistando sua primeira vitória na categoria dos carros elétricos.

Oliver Rowland
Oliver Rowland venceu pela primeira vez na Fórmula E. (Foto: FIA Formula E)

A segunda posição terminou nas mãos de Robin Frijns, piloto da Virgin que teve todas as tentativas de aproximação contidas por Rowland. René Rast, da Audi Sport, terminou em terceiro após ultrapassar André Lotterer na volta final, relegando o piloto da Porsche ao quarto lugar. Alex Lynn, da Mahindra, completou o grupo dos cinco primeiros.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Neel Jani, da Porsche, fechou a corrida em sexto, ficando logo à frente de Mitch Evans, da Jaguar. Edoardo Mortara completou a prova na capital alemã na oitava posição, sendo seguido por Stoffel Vandoorne, piloto que defende a Mercedes. O grupo dos dez primeiros foi completado por Sébastien Buemi, da Nissan e.dams.

LEIA MAIS:

Oliver Rowland fatura pole da Fórmula E em Berlim

Os brasileiros tiveram uma corrida para se esquecer. Felipe Massa, que andou na oitava posição até a metade da prova, perdeu desempenho e terminou em 13º com a Venturi. Sérgio Sette Câmara foi outro que esteve na zona de pontos, mas levou o carro da Dragon ao 15º lugar. Já Lucas Di Grassi teve um pneu furado em um incidente com António Félix da Costa e acabou em 21º com a Audi Sport.

Após a realização da penúltima etapa, o campeão António Félix da Costa segue com 156 pontos, enquanto Oliver Rowland assumiu a vice-liderança, agora com 82 pontos, dois a mais em relação a Jean-Éric Vergne, terceiro com 80. Mitch Evans e André Lotterer, ambos com 71, fecham o top-5. Lucas Di Grassi é o sétimo, com 69.

A temporada 2020 da Fórmula E será encerrada nesta quinta-feira (13), a partir das 14h, com transmissão dos canais Fox Sports.

Confira como foi a corrida

A corrida começou com Oliver Rowland mantendo a primeira colocação, mesmo com os ataques de Robin Frijns. Mais atrás, Sam Bird se envolveu em um toque forte, e rodou, mas conseguiu seguir na corrida. Jérôme D’Ambrosio também se envolveram no acidente. Felipe Massa manteve a oitava posição, Sérgio Sette Câmara caiu para décimo, e Lucas Di Grassi avançou para 19º.

António Félix da Costa avançou para a 16ª colocação nas voltas iniciais, e ganhou mais uma posição na terceira posição, ao superar Oliver Turvey. Já Maximilian Günther, outro envolvido no acidente da primeira volta, foi aos boxes com problemas no carro da BMW Andretti. Pouco depois, o alemão abandonou a disputa. Outro que foi aos boxes foi Bird, deixando a corrida.

Na sexta volta, a direção de prova passou a investigar Jean-Éric Vergne por uma irregularidade na bateria. No mesmo giro, Nico Müller foi o primeiro a acionar o attack mode, enquanto André Lotterer fez bonita ultrapassagem sobre Alex Lynn para ganhar a quarta posição. Di Grassi avançou para o 17º lugar ao superar D’Ambrosio.

Entre os líderes, Neel Jani foi o primeiro a acionar o attack mode, fazendo isso na sétima volta. Na volta seguinte, Frijns passou a usar a potência extra. A direção de prova passou a investigar Di Grassi e Günther pelo lance na largada. O brasileiro, por sua vez, superou Turvey e ganhou a 16ª posição. Na nona volta, Rowland acionou o attack mode e manteve a liderança.

Félix da Costa acionou o attack mode na décima volta, e começou a avançar na classificação. No giro seguinte, Di Grassi buscou a potência extra, e acabou superado pelo português no momento da captura. Na passagem seguinte, Sette Câmara buscou a potência extra e caiu da décima para a 13ª posição na capital alemã. Vergne acabou punido por refrigerar excessivamente a bateria do carro.

Na volta 13, Di Grassi reclamou de ter um pneu furado após um toque de Félix da Costa que lhe causou uma rodada. Imediatamente, o lance entre os dois passou a ser investigado pela direção de prova. Massa despencou da oitava para a 12ª colocação, após errar o acionamento do attack mode, enquanto Sette Câmara voltou ao décimo lugar.

Na 16ª volta, Félix da Costa passou por Massa, tomando o 13º lugar. Na frente, Rowland mantinha a liderança com uma frente de dois segundos em relação a Frijns, enquanto Jani aparecia em terceiro, mas muito pressionado por Lotterer. Sette Câmara acabou superado por Sims, mas seguiu em décimo após Tom Blomqvist acionar o attack mode. Pouco depois, o inglês voltou ao top-10.

Na volta 20, Jani voltou a usar o attack mode, e despencou inicialmente para a sexta posição. Frijns fez isso na volta seguinte, assim como Lynn, que usou apenas pela primeira vez a potência extra. Na 22ª volta, foi a vez de Lotterer pegar o attack mode pela primeira vez na corrida, mantendo a quarta colocação da prova. Sette Câmara despencou para a 14ª posição.

Lotterer seguiu crescendo na corrida, e superou René Rast para tomar a terceira posição. Na volta 25, a direção de prova disse que não daria punições pelo incidente de largada. Em 11º, Félix da Costa segurou como pôde Sébastien Buemi, mas acabou superado pelo suíço da Nissan e.dams. Na sequência, foi a vez de Alexander Sims passar pelo português.

Lotterer, quatro segundos atrás de Rowland, acionou o modo ataque pela segunda vez na volta 28, em ação repetida por Rast na sequência. Já Stoffel Vandoorne passou por Blomqvist para tomar a nona posição. Di Grassi, por sua vez, foi punido em cinco segundos por, de acordo com a direção de prova, causar a colisão do Félix da Costa.

Na frente, Rowland mantinha uma distância segura para Frijns, enquanto Lotterer seguia em terceiro. Já Lynn passou por Jani para ocupar um lugar entre os cinco primeiros. Como sempre acontece, a corrida chegou nas voltas finais com os pilotos preocupados com o consumo de bateria de seus carros. Günther voltou para a corrida, mas ficou parado na pista.

Rast superou Lotterer na volta final para ganhar a terceira posição, enquanto Rowland seguiu para vencer a prova, seguido por Frijns e Rast. Massa foi o 13º, Sette Câmara o 15º, e Di Grassi o 21º.