Card image
Fórmula E
Felix da Costa vence de ponta a ponta o ePrix de Berlim

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 05/08/2020
  • Atualizado: 05/08/2020 às 15:17
  • Por: Leonardo Marson

António Félix da Costa venceu nesta quarta-feira (5) a primeira corrida do ePrix de Berlim, etapa disputada em rodada sêxtupla que encerra a temporada 2019/2020 da Fórmula E. O português da DS Techeetah largou da pole position e praticamente não teve a primeira colocação ameaçada durante a prova no circuito montado no aeroporto de Tempelhof, vencendo na retomada do campeonato.

António Félix da Costa
Félix da Costa venceu pela segunda vez na temporada. (Foto: DS Techeetah)

A segunda posição ficou com Andre Lotterer, piloto da Porsche que travou boa batalha com Sam Bird na parte final da corrida, relegando o rival da Virgin ao terceiro lugar. Nyck de Vries terminou a prova na quarta posição com um carro da Mercedes, enquanto Jérôme D’Ambrosio, da Mahindra, completou a lista dos cinco primeiros.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Stoffel Vandoorne, da Mercedes, ficou com a sexta colocação, sendo seguido por Sébastien Buemi, sétimo com um equipamento da Nissan e.dams. Maximilian Günther, da BMW Andretti, foi o oitavo, enquanto Lucas Di Grassi, que fez uma corrida de recuperação, foi o nono com a Audi Sport. Alexander Sims, da BMW Andretti, foi o décimo.

LEIA MAIS:

Cacá Bueno vence de ponta a ponta em Berlim

Se Di Grassi buscou um top-10, os outros dois brasileiros sofreram na corrida. Sérgio Sette Câmara terminou a prova na 20ª posição com a Dragon, naquela que foi sua estreia na Fórmula E. Já Felipe Massa vinha na nona posição quando acertou a barreira de pneus com o carro da Venrturi e se viu obrigado a abandonar a disputa.

A Fórmula E dá sequência ao ePrix de Berlim nesta quinta-feira (6), com a realização da segunda corrida do Festival. A largada está marcada para 14h.

Confira como foi a corrida

A corrida começou com Félix da Costa e Vergne mantendo as primeiras posições, sendo seguidos por Lotterer, Buemi e De Vries. Massa ganhou uma posição, avançando para oitavo, enquanto Di Grassi subiu para 16º, depois de largar em 20º. Sette Câmara caiu para 24º.

Ainda na primeira volta, Rowland foi punido em 15 segundos pela direção de prova, enquanto Calado perdeu dez segundos em penalizações. Os dois pilotos da DS Techeetah começaram a se distanciar dos rivais, enquanto Massa se aproximava de Bird, o sétimo colocado.

Sette Câmara passou a ser investigado pela direção de prova por largar da posição errada. Na frente, Vergne abriu 3,8 segundos para Lotterer, o terceiro colocado. Massa, por sua vez, viu Bird se distanciar a passou a ser pressionado por Evans, que vinha na nona posição.

Na décima volta, Frijns danificou a asa dianteira de seu carro ao acertar o muro, ficando lento na pista. Assim, Di Grassi subiu para a 14ª posição. Na frente, De Vries deixou Buemi para trás para tomar a quarta posição. Evans, por sua vez, superou Massa e ganhou a nona posição.

Frijns parou na pista e provocou o acionamento do Safety Car pela primeira vez na corrida. A relargada veio na volta 13, e Bird deixou D’Ambrosio para trás para tomar a sexta posição. Na passagem seguinte, Buemi tentou acionar o attack mode, sem sucesso, e perdeu a quinta posição para Bird.

De Vries acionou o attack mode quando a corrida chegou a 22 minutos de duração. Outro que errou o acionamento foi Lotterer, que passou a ser pressionado pelo holandês, que conseguiu a ultrapassagem na volta 18. Na frente, Felix da Costa e Vergne pegaram o primeiro attack mode.

Di Grassi subiu para 13º após Vandoorne acionar o attack mode. Outro que subiu na mesma situação foi Massa, que ganhou a oitava posição de D’Ambrosio. Na sequência, os dois belgas recuperaram as colocações sobre os pilotos brasileiros.

Lotterer acionou o attack mode e caiu para quinto, sendo ultrapassado por Bird. Na frente, Felix da Costa passou a enfileirar voltas rápidas, abrindo 1,3 segundos para Vergne. Um pouco mais atrás, Di Grassi avançou para a 12ª colocação da prova, ficando à frente de Lynn e Günther.

Lotterer superou Bird e De Vries, recuperando a terceira colocação da prova. Pouco depois, foi a vez de Bird passar pelo holandês da Mercedes. Massa acertou a barreira de proteção ao passar reto em uma curva, forçando uma bandeira amarela localizada.

Com 25 voltas, Di Grassi entrou no grupo dos dez primeiros. Na sequência, o Full Course Yellow foi acionado, mas sem a entrada do Safety Car. A relargada veio restando oito minutos para o encerramento da corrida, com Vergne sendo pressionado por Lotterer.

Da Costa acionou o attack mode e viu Vergne se aproximar muito. Pouco depois, o bicampeão acabou superado por Bird, que tomou a segunda posição. Na sequência, foi a vez de Lotterer conseguir a ultrapassagem sobre o francês da DS Techeetah. O alemão também deixou Bird para trás.

De Vries também superou Vergne, ganhando a quarta posição. Na frente, Felix da Costa abriu cinco segundos sobre Lotterer, o segundo colocado. O alemão acabou ultrapassado novamente por Bird, enquanto Di Grassi despencou para a 12ª posição.

Evans bateu, e despencou para a 18ª colocação. A bandeira verde, porém, seguiu na pista. O português abriu uma volta há poucos segundos do final dos 45 minutos, deixando todos os pilotos – incluindo ele – apertados com relação a bateria para o final da prova.

Lotterer superou Bird mais uma vez, assumindo a segunda posição, enquanto Felix da Costa, com menos de um porcento de bateria, completou a corrida para vencer. Vergne ficou para trás nos metros finais.