Card image
Formula 1
Veja as frenagens na F1 e em campeonatos nacionais em Interlagos

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 12/11/2021
  • Atualizado: 12/11/2021 às 1:22
  • Por: Leonardo Marson

Uma das frenagens mais desafiadoras dos circuitos brasileiros e a do final da reta dos boxes de Interlagos, para o S do Senna. O autódromo, que recebe neste final de semana o Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1, é considerado a “casa” do automobilismo brasileiro, recebendo as mais variadas categorias do esporte a motor, e cada categoria tem um desafio diferente na aproximação da primeira curva do traçado de 4.309 metros.

F1
Foto: Pirelli

Como não poderia deixar de ser, a desaceleração na Fórmula 1 é a mais forte de todas. Os carros chegam ao final da reta dos boxes a 359 km/h, e freiam para 132 km/h em um deslocamento de 145 metros feito em apenas 2s44, em uma desaceleração de 5,8G.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram! e no Twitter
Acompanhe tudo o que rola no esporte a motor com o Boletim Racing

Para efeito de comparação, um carro de Stock Car, a principal categoria do automobilismo brasileiro, chega ao final da reta a 240 km/h, freando para 75 km/h. São 200 metros para a diminuição da velocidade, com um tempo de frenagem de cinco segundos, e desaceleração de 1,5G.

LEIA MAIS:

Confira a programação e onde ver na TV ao GP de São Paulo de F1
Prefeito de São Paulo celebra impacto econômico da F1 na cidade
Governo anuncia esquema de policiamento para o GP de São Paulo

Já na Copa Truck, que reúne os veículos de corrida mais pesados do País, a frenagem é feita dos 180 km/h para apenas 60 km/h. A desaceleração é feita em sete segundos, percorrendo 210 metros para reduzir a velocidade em 120 km/h. A força G é menor: somente 1G.

Confira vídeos da aproximação para o S do Senna nas três categorias:

Fórmula 1:

Stock Car:

Copa Truck:

Comentários