Card image
Formula 1
Negociações para manter a F1 em Interlagos avançam

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 17/10/2019
  • Atualizado: 17/10/2019 às 1:57
  • Por: Leonardo Marson

A cidade de São Paulo deu um passo importante para manter o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 no Autódromo de Interlagos após o encerramento do atual contrato com a categoria, que vencerá em 2020. Segundo informações dos jornalistas Julianne Cerasoli e Demétrio Vecchioli, do Uol, um novo projeto para manter a corrida na sua atual sede foi apresentado há duas semanas para Chase Carey, CEO do Liberty Media, em Londres.

Interlagos
Interlagos avançou nas negociações para seguir como casa da F1 no Brasil. (Foto: Beto Issa)

Uma comitiva composta por Thomas Rohonyi, atual promotor do GP do Brasil, Orlando Faria, Secretário de Turismo da Prefeitura de São Paulo, Alan Adler, chefe-executivo da IMM, empresa de eventos esportivos e entretenimento, e um representante do fundo de investimentos Abu Dhabi Mubadala, se encontraram com Carey na capital inglesa, apresentando um novo modelo de negócio para a corrida em Interlagos.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

De acordo com a reportagem, a FOM, empresa dona dos direitos da F1, procurou a prefeitura paulistana para iniciar as negociações em setembro, pedindo um valor acima da média de 25 milhões de euros anuais para manter a corrida em Interlagos. Uma das exigências é a de que Rohonyi, ligado ao antigo dono da categoria, Bernie Ecclestone, seja afastado da promoção da corrida.

LEIA MAIS:
F1 realiza evento em homenagem a Ayrton Senna em São Paulo
Toro Rosso recebe aval para mudar de nome em 2020
Mick Schumacher: “Me sinto pronto para a Fórmula 1”
Leclerc assume culpa por incidente com Verstappen no Japão

A contraproposta prevê que a IMM, empresa de Adler, que promove eventos como o Rio Open de Tênis, passe a promover o GP do Brasil no lugar de Rohonyi, que ficaria responsável pela organização da corrida por conta da experiência adquirida nos últimos anos por sua empresa, a Interpub. O pagamento da taxa para realização da corrida, algo que o GP do Brasil não pagava nos anos anteriores, ficaria sob responsabilidade da IMM e do Mubadala.

O Liberty Media não aprovou a contraproposta, mas abriu uma nova negociação, buscando um valor mais baixo do que o pedido anteriormente. A expectativa é de que o anúncio do local onde o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 será realizado a partir de 2021 seja anunciado pela empresa que controla a principal categoria do esporte a motor mundial entre maio e junho de 2020.

Além de São Paulo, o Liberty Media trabalha com a possibilidade de o Rio de Janeiro se tornar a nova casa do GP do Brasil, em um autódromo que deverá ser construído na região de Deodoro. A obra para a praça esportiva, que teve confirmado recentemente um acordo de cinco anos para receber o Grande Prêmio do Brasil de MotoGP a partir de 2022, ainda não começou, e aguarda a conclusão de um estudo de impacto ambiental.

Até 2020, a etapa brasileira da Fórmula 1 seguirá no Autódromo de Interlagos. Neste ano, a corrida está marcada para o dia 17 de novembro.