Card image
Formula 1
Médico nega uso de células-tronco em tratamento de Schumacher

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 30/09/2019
  • Atualizado: 30/09/2019 às 17:39
  • Por: Leonardo Marson

O médico francês Philippe Menasché, que atendeu ao heptacampeão mundial de Fórmula 1 Michael Schumacher no início do mês de setembro no hospital Georges Pompidou, em Paris, negou que o piloto passou por um tratamento com base em células-tronco. A época, a notícia foi divulgada pelo jornal francês “Le Parisien”, dava conta de que o alemão passaria por um “tratamento experimental de transfusão de células-tronco”, o que foi veementemente negado pelo profissional de saúde.

Michael Schumacher
Schumacher deu entrada em um hospital em Paris no início do mês de setembro. Motivos não foram revelados. (Foto: Getty Images)

“Eu não faço milagres. Com minha equipe, não estamos fazendo nenhum experimento, termo abominável que não corresponde com uma visão séria da medicina”, disse Menasché, em entrevista para o diário espanhol “Marca”. De acordo com a publicação, os experimentos com células-tronco foram encerrados há dois anos, o que impede a utilização de tal técnica.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Ainda segundo Menasché, a internação de Schumacher gerou grande mobilização em seu setor no hospital Georges Pompidou, mas que a situação já está normalizada. O profissional, considerado uma das principais autoridades no tratamento de coração utilizando células-tronco, disse que, apesar dos avanços, não há tanto conhecimento sobre estas células.

LEIA MAIS:
GP da Rússia rende boa audiência para a TV Globo
Binotto defende jogo de equipe da Ferrari e elogia Vettel
Hamilton exalta Mercedes após vitória na Rússia
Segundo, Bottas celebra “corrida boa” em Sochi

“Houve uma explosão de atenção em nosso departamento, mas a situação já está normalizada”, seguiu o profissional da saúde. “Há muitos progressos nos últimos 20 anos, mas o certo, porém, é que sabe-se muito pouco sobre as células-tronco”, completou Menasché.

Schumacher, que defendeu na Fórmula 1 as equipes Jordan, Benetton, Ferrari e Mercedes, sofreu um acidente em dezembro de 2013, enquanto esquiava na França. Desde então, pouco ou quase nada se sabe sobre o real estado de saúde do maior campeão da história da principal categoria do automobilismo mundial.