Card image
Formula 1
Hamilton vence tumultuado GP da Toscana em Mugello

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/09/2020
  • Atualizado: 13/09/2020 às 12:38
  • Por: Leonardo Marson

Lewis Hamilton venceu neste domingo (13) o Grande Prêmio da Toscana, nona etapa da temporada 2020 da Fórmula 1, disputada no circuito de Mugello, na Itália. Em uma corrida das mais tumultuadas, com duas bandeiras vermelhas e apenas 12 carros completando a prova, o inglês da Mercedes superou Valtteri Bottas na segunda largada parada para vencer a prova.

Lewis Hamilton
Hamilton conquistou sua vitória número 90. (Foto: Mercedes)

A segunda colocação ficou com Valtteri Bottas, que completou a prova pouco mais de um segundo atrás de Hamilton, conquistando o 1-2 da Mercedes. Alexander Albon, da Red Bull, terminou em terceiro, conquistando seu primeiro pódio na mais importante categoria do automobilismo mundial. Daniel Ricciardo foi o quarto com a Renault, sendo seguido por Sergio Pérez, da Racing Point.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Lando Norris terminou a corrida em Mugello em sexto com a McLaren, sendo seguido por Daniil Kvyat, sétimo com a AlphaTauri. Charles Leclerc se valeu de uma punição contra Kimi Räikkönen para terminar em oitavo com a Ferrari, sendo seguido pelo finlandês da Alfa Romeo. Sebastian Vettel, com a outra Ferrari, da Ferrari.

A corrida foi marcada por dois acidentes que provocaram neutralizações e interrupção. Na largada, Max Verstappen perdeu potência e acabou atingido por Kimi Räikkönen. O incidente ainda envolveu Pierre Gasly, Romain Grosjean, Carlos Sainz e Sebastian Vettel.

Na relargada, Antonio Giovinazzi atingiu Sainz e Kevin Magnussen, em incidente que envolveu ainda Nicholas Latifi. A bandeira vermelha foi acionada neste momento. Mais para o final da corrida, Lance Stroll escapou na segunda Arrabiatta, causando mais uma bandeira vermelha na corrida.

A temporada da Fórmula 1 terá sequência daqui duas semanas, quando será disputado o Grande Prêmio da Rússia, marcado para o circuito de Sochi.

Confira como foi a corrida

A corrida começou com Valtteri Bottas tomando a liderança, deixando Lewis Hamilton em segundo. Charles Leclerc avançou para terceiro, sendo seguido por Alexander Albon e Lance Stroll. Max Verstappen recebeu um toque de Kimi Räikkönen, foi para a brita e abandonou, assim como Pierre Gasly, que foi tocado por Romain Grosjean. Carlos Sainz rodou e foi atingido por Sebastian Vettel. O Safety Car foi acionado.

A bandeira amarela seguiu na pista por seis voltas, com a relargada acontecendo no sétimo giro. Bottas segurou muito o ritmo, e acabou por provocar um acidente no pelotão de trás. Sainz, Giovinazzi, Magnussen e Latifi bateram ainda na reta dos boxes. O Safety Car foi acionado mais uma vez, mas a direção de prova optou por acionar a bandeira vermelha no complemento da oitava volta.

Assim como aconteceu em Monza, na última semana, a prova foi reiniciada com relargada com os carros parados. Esteban Ocon, porém, foi outro a abandonar a corrida. A corrida recomeçou na volta 9 com Hamilton recuperando a primeira posição de Bottas, enquanto Leclerc manteve a terceira posição, sendo seguido por Stroll e Pérez.

No pelotão de trás, George Russell superou Kimi Räikkönen para tomar a décima colocação. Mais tarde, na volta 15, Daniel Ricciardo avançou para a quinta posição ao superar Pérez. Na frente, Stroll passou a atacar Leclerc pelo terceiro lugar, enquanto Sebastian Vettel passou por Räikkönen, tomando a 11ª colocação da corrida.

De tanto pressionar, Stroll conseguiu a ultrapassagem sobre Leclerc na volta 18, tomando o terceiro lugar. No mesmo momento, Albon superou Pérez para ocupar a sexta posição. Na volta seguinte, foi a vez de Ricciardo passar pelo monegasco da Ferrari, avançando para o quarto lugar. Na sequência, o piloto da Ferrari também foi ultrapassado por Albon.

Depois de ser superado por Pérez, Leclerc foi aos boxes na volta 22 e colocou pneus duros. Na frente, Hamilton mantinha a diferença na casa de dois segundos para Bottas, enquanto Ricciardo passou a pressionar Stroll pela terceira posição a partir do 25º giro. Leclerc, depois da parada, se livrou de Grosjean na 26ª passagem, tomando 12ª colocação.

Na volta 28, Ricciardo foi aos boxes e colocar pneus duros, enquanto Lando Norris passou por Sergio Pérez para tomar a quinta colocação. Räikkönen foi aos boxes, mas teve problemas para retornar à pista. Pérez e Vettel pararam na volta 29, enquanto Norris, Kvyat e Russell trocaram pneus na volta seguinte. Stroll fez seu pit stop na volta 31.

Bottas passou a reclamar do desgaste dos pneus e viu a vantagem de Hamilton aumentar. Assim, o finlandês foi aos boxes na volta 32, recebendo pneus duros. O inglês parou no giro seguinte, recebendo o mesmo composto da Mercedes. Albon fez a mesma coisa do líder do campeonato na mesma volta, também ganhando pneus de faixa branca.

Norris, agora com pneus mais novos, deixou Leclerc para trás, tomando a sétima posição. No giro 35, Räikkönen passou Grosjean para tomar a 12ª posição. Os dois pilotos, porém, se tocaram e quase causaram um novo acidente. Três giros depois, Leclerc voltou aos boxes para sua segunda parada, passando a usar pneus médios.

Albon passou a se aproximar de Stroll na volta 41, e o canadense aumentou o ritmo, descontando a vantagem de Ricciardo, o terceiro colocado. Na volta 44, Stroll passou reto na segunda Arrabiatta, causando a terceira bandeira amarela da corrida. Neste momento, todos os pilotos foram aos boxes, e a bandeira vermelha foi acionada mais uma vez.

A prova foi reiniciada com Räikkönen e Grosjean liberados para descontar a volta que tinham de desvantagem. O finlandês, porém, passou a ser investigado. A relargada, parada mais uma vez, veio na volta 47 com Hamilton mantendo a liderança, seguido por Ricciardo, que passou por Bottas. Albon superou Pérez para tomar a quarta posição.

Räikkönen foi punido em cinco segundos por cruzar a linha de box, enquanto Bottas recuperou a segunda posição ao superar Ricciardo na 48ª passagem. Dois giros depois, Leclerc passou por Grosjean, tomando a nona posição. Albon, por sua vez, passou por Ricciardo na volta seguinte, tomando a terceira colocação.

O tailandês da Red Bull passou a se aproximar de Bottas na volta 53, mas viu o finlandês virar a volta mais rápida da corrida no giro seguinte. No final, Hamilton manteve a liderança e seguiu para a vitória, sendo seguido por Bottas e Albon.