Card image
Competições
Bottas vence GP da Áustria agitado no Red Bull Ring

6 Minutos de leitura

  • Publicado: 05/07/2020
  • Atualizado: 06/07/2020 às 1:45
  • Por: Leonardo Marson

Valtteri Bottas venceu neste domingo (5) o Grande Prêmio da Áustria, corrida que abriu a temporada 2020 da Fórmula 1. O finlandês da Mercedes liderou a prova desde a primeira volta, mesmo sendo muito pressionado por Lewis Hamilton ao longo de toda a corrida, e garantiu o triunfo na primeira corrida do ano.

Valtteri Bottas
Bottas liderou a corrida de ponta a ponta. (Foto: LAT)

A segunda posição ficou com Charles Leclerc, piloto da Ferrari que sofreu com o ritmo de corrida fraco do time de Maranello, mas que conseguiu se aproveitar de pneus mais novos no final da prova e também de abandonos e punições dos rivais. Lando Norris, que esteve sempre entre os cinco primeiros da corrida, levou a McLaren ao terceiro lugar e fez a volta mais rápida da corrida.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

Lewis Hamilton, que largou em quinto após ser punido momentos antes da largada por não respeitar a bandeira amarela no final da classificação, andou em segundo na maior parte do tempo, mas acabou punido em cinco segundos após um incidente com Alexander Albon no final da prova, caindo de segundo para quarto. Carlos Sainz, da McLaren, completou a lista dos cinco primeiros.

LEIA MAIS:

Hamilton perde três posições no grid do GP da Áustria

Sergio Pérez completou um bom final de semana com a Racing Point e terminou em sexto, logo à frente de Pierre Gasly, sétimo com a AlphaTauri. Esteban Ocon, que retornou à Fórmula 1 neste final de semana, ficou com a oitava posição com a Mercedes, sendo seguido por Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo. Sebastian Vettel, que rodou durante a prova, fechou a zona de pontos com a Ferrari.

A prova foi marcada pelo grande número de abandonos, com nove pilotos deixando a corrida por quebras ou acidentes. Assim, o Safety Car precisou ser acionado pela direção de prova em três oportunidades. A primeira ocorreu por uma rodada de Kevin Magnussen, a segunda após George Russell ter problemas em sua Williams. A terceira entrada veio após Kimi Räikkönen perder uma roda.

A temporada 2020 da Fórmula 1 terá sequência já no próximo final de semana, com a disputa do Grande Prêmio da Estíria, novamente no Red Bull Ring.

Confira como foi a corrida

A largada aconteceu com Valtteri Bottas mantendo a primeira colocação, sendo seguido por Max Verstappen, que precisou se defender dos ataques de Lando Norris nos metros iniciais. Albon manteve o quarto posto, se mantendo à frente de Hamilton. Mais atrás, Charles Leclerc seguiu em sétimo, enquanto Sebastian Vettel avançou para o décimo lugar.

Na terceira volta, Albon conseguiu a ultrapassagem sobre Norris, tomou a terceira posição, enquanto Hamilton passou pelo piloto da McLaren no giro seguinte, tomando o quarto lugar. No sétimo giro, o hexacampeão do mundo passou a atacar o tailandês da Red Bull para entrar na zona de pódio, enquanto Bottas começou a enfileirar voltas mais rápidas.

A ultrapassagem de Hamilton sobre Albon veio na nona volta, com o inglês superando com facilidade o rival graças ao uso do DRS. No 11º giro, Verstappen ficou lento na pista com problemas no câmbio da Red Bull, abandonando a disputa. Bottas, por sua vez, alcançou uma vantagem de sete segundos para o companheiro de equipe, novo segundo colocado.

Na oitava posição e pressionado por Vettel e Ricciardo, Stroll passou a reclamar de falta de potência na 17ª volta. O australiano da Renault, porém, ficou lento na pista logo na sequência, indo para os boxes, enquanto o alemão da Ferrari conseguiu superar o piloto da Racing Point para tomar o oitavo lugar. Mais atrás, Kimi Räikkönen passou por Antonio Giovinazzi para tomar o 14º lugar.

Sem o mesmo rendimento do início da corrida, Stroll acabou superado por Pierre Gasly, que tomou a nona posição na 20ª volta. Na passagem seguinte, Hamilton diminuiu a vantagem de Bottas para seis segundos, enquanto Romain Grosjean rodou com a Haas, conseguindo voltar ao traçado na sequência.

Ainda na volta 21, Stroll abandonou a disputa com problemas no carro da Racing Point. Mais atrás, Esteban Ocon, retornando à Fórmula 1, passou a atacar Kevin Magnussen pela 11ª colocação, trazendo consigo Räikkönen. Hamilton, por sua vez, seguiu cortando a diferença para Bottas, chegando a 3s5 na 25ª volta da prova.

Pressionado por Ocon, Magnussen passou reto em uma das curvas e rodou na 26ª volta, deixando o carro apagar. Por conta disso, o Safety Car foi acionado, e todos os pilotos foram para os boxes neste momento. Assim, a lista dos dez primeiros apontava Bottas na liderança, seguido por Hamilton, Albon, Norris, Pérez, Leclerc, Sainz, Vettel, Gasly e Kvyat.

Praticamente todos os pilotos colocaram pneus duros no pit stop. A exceção ficou por conta de Pérez, que recebeu da Racing Point pneus médios. A relargada aconteceu na volta 31, com Bottas e Hamilton mantendo as posições. Sainz partiu para o ataque sobre Leclerc, e Vettel, ao tentar mergulhar sobre o espanhol da McLaren, acabou rodando, perdendo muitas posições.

Bottas conseguiu ser mais rápido que Hamilton nas voltas seguintes a relargada, enquanto Pérez superou Norris para tomar a quarta colocação na 33ª volta. Pouco depois, o hexacampeão do mundo passou a descontar a diferença para o companheiro de Mercedes, enquanto Leclerc passou a descontar a vantagem de Norris, o quinto colocado.

Após a rodada, Vettel superou Grosjean para tomar a 14ª posição. Um pouco mais na frente, Ocon passou a pressionar Kvyat pelo nono lugar. Bottas seguiu na liderança, mas sempre pressionado por Hamilton, que tentava se aproximar do companheiro. Mas, a partir da 46ª volta, a diferença aumentou muito entre os dois pilotos da Mercedes, com os dois com alguma falha de câmbio.

Depois de perseguir Kvyat por algumas voltas, Ocon partiu para o ataque sobre o russo da AlphaTauri, então nono colocado. Grosjean, por sua vez, escapou mais uma vez da pista com a Haas. Já George Russell perdeu potência em sua Williams e abandonou a disputa, provocando a segunda entrada do Safety Car na corrida na volta 51.

Ainda na volta 51, alguns pilotos foram aos boxes, como Albon, Norris, Leclerc, Kvyat, Räikkönen e Vettel. O tailandês da Red Bull colocou pneus macios para a sequência da prova. No giro seguinte, foi a vez de Sainz colocar pneus macios. O grupo dos dez primeiros passou a apontar Bottas, Hamilton, Pérez, Albon, Norris, Leclerc, Gasly, Ocon, Sainz e Giovinazzi.

A relargada veio na volta 55, com Bottas e Hamilton seguindo nas duas primeiras posições, enquanto Albon foi para o ataque sobre Pérez, conseguindo a ultrapassagem. O Safety Car precisou ser acionado pela terceira vez logo na sequência após a Alfa Romeo de Kimi Räikkönen ter uma roda solta, provocando o abandono do finlandês.

A bandeira verde foi acionada mais uma vez na volta 61, com Albon pressionando Hamilton pela segunda posição, mas o tailandês acabou tocando o inglês e rodou, despencando para a 13ª colocação. O lance passou a ser investigado pela direção de prova imediatamente. Atrás, Sainz tomou a sexta posição de Gasly.

Na volta 64, Leclerc fez a ultrapassagem sobre Norris, tomando a quarta posição. Dois giros depois, o monegasco da Ferrari passou por Pérez para tomar a terceira posição. Hamilton, por sua vez, acabou punido em cinco segundos após o incidente com Albon. Mais atrás, Sainz passou a atacar Norris, seu companheiro de equipe, pelo quinto lugar.

Pérez foi outro que tomou cinco segundos de punição por conta de excesso de velocidade nos boxes. Albon, pouco depois, abandonou a prova com problemas na Red Bull. Norris, por sua vez, passou por Pérez para tomar a terceira posição. Na sequência, Kvyat viu o pneu da AlphaTauri, sendo mais um a deixar a disputa.

Bottas perdeu desempenho nas voltas finais, mas garantiu a vitória, sendo seguido por Hamilton e Leclerc. O inglês, porém, perdeu os cinco segundos e caiu para quarto, permitindo a Norris seu primeiro pódio na Fórmula 1.