Card image
Competições
Verstappen vence GP do Brasil maluco em Interlagos

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 17/11/2019
  • Atualizado: 18/11/2019 às 14:01
  • Por: Leonardo Marson

Max Verstappen venceu neste domingo (17) o Grande Prêmio do Brasil, penúltima etapa da temporada 2019 da Fórmula 1. Em uma corrida das mais movimentadas no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP), o piloto da Red Bull superou Lewis Hamilton na 60ª volta, se valendo dos pneus macios em seu carro contra os médios do inglês, e o superou no S do Senna após uma relargada, disparando para vencer pela primeira vez na capital paulista.

Max Verstappen
Verstappen venceu pela primeira vez em Interlagos na carreira. (Foto: Rafa Catelan)

Verstappen e Hamilton travaram ótimas batalhas ao longo da corrida, e o inglês se viu na liderança após a 54ª volta, momento em que o Safety Car foi acionado por conta da quebra do motor da Mercedes de Valtteri Bottas, em incidente que marcou a primeira falha na unidade de força produzida pelos alemães desde o GP da Áustria do ano passado.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!

A segunda posição terminou nas mãos de Pierre Gasly, piloto da Toro Rosso que se aproveitou de um segundo Safety Car, provocado por um acidente entre Charles Leclerc e Sebastian Vettel, e de um incidente entre Hamilton e Alexander Albon para terminar à frente do inglês da Mercedes, que teve que se contentar com o terceiro lugar. A posição ainda não é garantida, pois o lance com o tailandês da Red Bull está sob investigação.

Carlos Sainz, da McLaren, terminou a prova na quarta colocação depois de largar da 20ª e última posição, enquanto Kimi Räikkönen, da Alfa Romeo, foi o quinto, terminando logo à frente de Antonio Giovinazzi, seu companheiro de equipe. Daniel Ricciardo foi o sétimo com a Renault, ao passo que Lando Norris, da McLaren, foi o oitavo. Sergio Pérez, da Racing Point, e Daniil Kvyat, da Toro Rosso, fecharam o top-10.

A Fórmula 1 encerra a temporada 2019 no próximo dia 1º de dezembro, quando será disputado o Grande Prêmio de Abu Dhabi, marcado para o circuito de Yas Marina.

Confira como foi a corrida

A prova começou com Max Verstappen mantendo a primeira colocação, enquanto Lewis Hamilton superou Sebastian Vettel para tomar a segunda posição. Valtteri Bottas e Alexander Albon completaram o grupo dos cinco primeiros. Charles Leclerc, por sua vez, fez uma primeira volta das mais agressivas para avançar da 14ª para a 11ª colocação nos metros iniciais.

Verstappen rapidamente abriu vantagem sobre Hamilton, alcançando dois segundos de frente logo na terceira volta. Mais atrás, Leclerc seguiu avançando, e deixou para trás Romain Grosjean na quinta volta para assumir a oitava colocação. Dois giros depois, o monegasco superou Kimi Räikkönen, tomando o sétimo posto. No oitavo giro, Daniel Ricciardo acertou Kevin Magnussen, que rodou. O australiano foi aos boxes para trocar a asa dianteira.

Leclerc chegou ao sexto lugar na décima volta, passando Pierre Gasly no S do Senna. Verstappen, por sua vez, mantinha uma distância de dois segundos para Hamilton na 12ª volta, sem ampliar a diferença, mas impedindo o inglês de se aproximar. A direção de prova passou a investigar o lance entre Ricciardo e Magnussen, com o australiano sendo punido em cinco segundos pelo incidente.

Com ritmos parecidos, Verstappen e Hamilton abriram vantagem para Vettel, que na 19ª volta aparecia sete segundos atrás dos líderes. O inglês foi chamado aos boxes pela Mercedes na volta 21, recebendo pneus macios e para partir para uma estratégia de duas paradas. Verstappen parou no giro seguinte, recebeu pneus macios e acabou atrapalhado por Robert Kubica, que também saía dos boxes com a Williams.

Hamilton retornou à frente de Verstappen, e com Leclerc à frente. Os dois superaram o monegasco, e o holandês tomou a primeira posição na volta 23, avançando para o quarto lugar. Pouco depois, os dois ultrapassaram Albon. A corrida tinha liderança neste momento de Vettel, seguido por Bottas. Albon foi para os boxes na volta 25, recebendo pneus médios.

Vettel trocou pneus na volta 26, recebendo os pneus médios da Ferrari. Pouco depois, a direção de prova passou a investigar a saída de box de Kubica e Verstappen. Bottas veio aos boxes na volta 27, recebendo pneus duros da Mercedes. Verstappen voltou à liderança, seguido por Hamilton e Leclerc, que se valia dos pneus médios para seguir mais tempo na pista.

Vettel superou Leclerc na 29ª volta, tomando a terceira posição da prova. O monegasco foi aos boxes e trocou os pneus médios pelos duros na volta 30, retornando à pista na sexta posição. Duas voltas depois, a direção de prova puniu com cinco segundos Robert Kubica pelo incidente na saída dos boxes com Verstappen, que tinha três segundos de frente para Hamilton.

Enquanto Verstappen e Hamilton seguiam na liderança, Vettel, com os médios, tentava descontar a diferença para os dois, mas sem sucesso. A diferença do Ferrarista para o holandês era de 12 segundos. Bottas foi aos boxes pela segunda vez na volta 42, recebendo agora os pneus médios. Duas voltas depois, foi a vez de Hamilton parar, trocando os pneus macios pelos médios.

Verstappen foi para a segunda parada na volta 45, e viu a Red Bull trocar os pneus macios pelos médios em apenas 1s9, retornando à frente de Hamilton. Apesar disso, Vettel assumiu a liderança. Dois giros depois, Bottas se aproximou de Leclerc para disputar a quinta colocação. Mais na frente, Verstappen se aproximou rapidamente de Vettel para brigar pela liderança.

Vettel foi aos boxes na volta 50, ganhando pneus macios para a parte final da corrida. Então em terceiro, Albon foi aos boxes pela segunda vez na volta 51. Mais atrás, o motor de Bottas apresentou problemas e causou o abandono do finlandês na volta 52. Duas volta depois, o Safety Car foi acionado para a retirada do Mercedes de Bottas.

Verstappen foi imediatamente aos boxes para colocar pneus macios, enquanto Hamilton ficou na pista. Leclerc foi outro a colocar pneus macios. A classificação da prova apontava restando 15 voltas para o final da corrida Hamilton na liderança, seguido por Verstappen, Vettel, Albon e Leclerc.

A relargada veio na volta 60, com Verstappen superando Hamilton no S do Senna para retomar a liderança. O inglês tentou retomar a ponta na freada da reta oposta, mas viu o holandês manter a primeira posição. Albon, por sua vez, ultrapassou Vettel para tomar a terceira posição. Pouco depois, na volta 64, o alemão recuperou a posição em cima do tailandês.

Albon recuperou a terceira posição logo na volta seguinte, enquanto Leclerc superou Vettel, que tentou ultrapassá-lo de novo. O resultado foi um toque entre os dois, que abandonaram a disputa e provocaram uma segunda entrada do Safety Car. A corrida tinha liderança de Verstappen, sendo seguido por Albon, Gasly, Hamilton e Sainz.

A relargada veio com duas voltas para o final, com Verstappen disparando na frente, enquanto Albon segurou Hamilton, que deixou Gasly para trás. Os dois se tocaram e o tailandês rodou, perdendo muitas posições. Gasly assumiu a segunda posição. Verstappen seguiu para a vitória, enquanto o francês da Toro Rosso completou em segundo. Hamilton terminou em terceiro, mas passou a ser investigado pelo incidente com Albon.

Veja as imagens do GP do Brasil por Miguel Costa Jr.