Card image
Competições
Leclerc segura Hamilton e Bottas e vence na Itália

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 08/09/2019
  • Atualizado: 08/09/2019 às 11:31
  • Por: Leonardo Marson

Charles Leclerc venceu neste domingo (8) o Grande Prêmio da Itália, 14ª etapa da temporada 2019 da Fórmula 1. O piloto da Ferrari largou da pole position e, exceção feita ao momento em que foi aos boxes, manteve a primeira posição por toda a corrida, resistindo a pressão de Lewis Hamilton na maior parte da prova, e de Valtteri Bottas nas voltas finais, para triunfar pela segunda vez no ano.

Charles Leclerc
Leclerc garantiu sua segunda vitória na F1. (Foto: Ferrari)

A segunda posição ficou com Valtteri Bottas, que se aproveitou de um pneu menos desgastado e de um erro de Lewis Hamilton para terminar nesta posição, enquanto o inglês, com a outra Mercedes, fechou o pódio com a terceira colocação. Daniel Ricciardo completou a corrida na quarta colocação com a Renault, enquanto Nico Hülkenberg, companheiro de equipe do australiano, foi o quinto.

Alexander Albon, que sofreu uma punição por levar vantagem em uma escapada de pista, e que travou um bom duelo com Carlos Sainz no começo da prova, foi o sexto com a Red Bull, sendo seguido por Sergio Pérez, da Racing Point. Depois de largar em último e ter de trocar a asa dianteira, Max Verstappen foi o oitavo com a Red Bull, enquanto Antonio Giovinazzi foi o nono, com a Alfa Romeo. O top-10 foi completado por Lando Norris, da McLaren.

Sebastian Vettel teve um dia para se esquecer. O piloto da Ferrari rodou ainda no começo da corrida, e voltou de forma insegura, provocando uma rodada de Lance Stroll após tocar o piloto da Racing Point. Punido com um stop and go de dez segundos, o alemão teve que se contentar apenas com a 14ª colocação, uma volta atrás dos líderes da corrida em Monza.

A Fórmula 1 dá prosseguimento a temporada 2019 em duas semanas, quando acontece o Grande Prêmio de Singapura, marcado para o circuito de Marina Bay.

Confira como foi a corrida

A prova começou com Charles Leclerc mantendo a primeira posição, enquanto Valtteri Bottas superou Lewis Hamilton para tomar a segunda posição, enquanto Sebastian Vettel se manteve no quarto lugar, sendo seguido por Nico Hülkenberg e Daniel Ricciardo, ambos da Renault. Ainda no primeiro giro, Hamilton superou Bottas, e Hülkenberg passou por Vettel. Max Verstappen, que largou em 20º, teve danos na asa dianteira, e foi aos boxes.

Vettel voltou ao quarto lugar já na segunda volta, passando por Hülkenberg com alguma facilidade. A corrida seguiu com Alexander Albon atacando Carlos Sainz, mas o espanhol da McLaren além de manter a nona posição, não deu espaço para o tailandês da Red Bull, que escapou da pista, retornando apenas na 11ª colocação. Mais na frente, Ricciardo passou por Hülkenberg, assumindo a quinta posição.

Na sexta volta, Vettel rodou na Variante Ascari, e retornou na pista de forma perigosa, atingindo Lance Stroll, que rodou. O piloto da Racing Point, por sua vez, agiu como o alemão da Ferrari, e retornou à pista de forma que jogou Pierre Gasly, da Toro Rosso, para fora da pista. A direção de prova logo passou a investigar os pilotos de Ferrari e Racing Point, e Vettel foi advertido com um stop and go de dez segundos, cumprindo na 13ª volta.

Verstappen passou a reclamar de potência no carro da Red Bull. Outra punição foi aplicada, esta para Lance Stroll, que sofreu um drive through. Na frente, Leclerc mantinha uma vantagem de 1s6 em relação a Hamilton, que por sua vez tinha Bottas muito próximo. Quem se beneficiou dos problemas de Vettel e Verstappen foram os pilotos da Renault, já que o time seguia com Ricciardo em quarto, e Hülkenberg em quinto.

Stroll pagou a punição na volta 16, retornando em 17º. Outro penalizado foi Albon, que tomou cinco segundo por sair da pista e levar vantagem. Hamilton passou a reclamar do desgaste dos pneus com a Mercedes na volta 19, e foi aos boxes no giro seguinte, usando pneus médios, enquanto Leclerc trocou pneus na volta 21, recebendo da Ferrari pneus duros. No mesmo momento, Kimi Räikkönen pagou um stop and go de dez segundos.

Hamilton se aproximou de Leclerc, que por sua vez chegou rapidamente em Hülkenberg. Os dois superaram o alemão da Renault na volta 23, e o inglês abriu ataque contra o monegasco, escapando da pista, em manobra que rendeu uma advertência contra o piloto da Ferrari. Três voltas depois, os dois pilotos superaram Ricciardo, avançando para a segunda e a terceira posição. Albon foi aos boxes na volta 27.

Bottas foi aos boxes na volta 28, recebendo pneus médios da Mercedes e retornando na quarta colocação, em atitude seguida por Sainz, na McLaren, mas voltou à pista com uma das rodas soltas, abandonando a disputa. O incidente causou o acionamento do Safety Car Virtual, que durou apenas alguns segundos, com a bandeira verde sendo dada novamente na volta 29.

Hülkenberg foi aos boxes na 30ª volta, recebendo pneus médios da Renault, enquanto Daniil Kvyat abandonou a corrida com problemas de motor na Toro Rosso, provocando o segundo acionamento do Safety Car Virtual no momento em que Ricciardo foi aos boxes. A bandeira verde foi acionada novamente na volta 32, com Hamilton tentando mais uma vez um ataque sobre Leclerc.

Bottas passou a andar mais rápido em relação a Hamilton e Leclerc, que errou na volta 36, permitindo o ataque de Hamilton, que não conseguiu a ultrapassagem. O lance não foi investigado pela direção de prova. O inglês seguiu próximo do monegasco, enquanto o finlandês seguiu se aproximando dos dois líderes da corrida.

Leclerc conseguiu abrir um segundo de vantagem sobre Hamilton, que cometeu um erro na volta 42, cedendo a segunda posição para Bottas, caindo para terceiro. O finlandês, por sua vez, seguiu se aproximando do monegasco, cortando a diferença para 1s4 quando restavam dez voltas para o encerramento da corrida. O piloto da Mercedes, porém, não conseguia descontar esta vantagem.

Hamilton foi aos boxes na volta 50, recebendo pneus macios para tentar o ponto da melhor volta da prova. Bottas voltou a se aproximar de Leclerc restando três voltas para o final, mas o monegasco jogou com o retardatário, Lando Norris, para ampliar a vantagem, que se mostrou definitivo para a vitória do monegasco.