Card image
Competições
Dixon segura Rosenqvist e vence em Mid-Ohio pela Indy

6 Minutos de leitura

  • Publicado: 28/07/2019
  • Atualizado: 28/07/2019 às 19:28
  • Por: Leonardo Marson

Scott Dixon venceu neste domingo (28) a 13ª etapa da temporada 2019 da Indy, disputada no circuito de Mid-Ohio, em Lexington. Em uma estratégia de apenas duas paradas nos boxes, o neozelandês precisou economizar combustível e controlar o desgaste dos pneus nas últimas 30 voltas, se defendendo de um ataque de Felix Rosenqvist, seu companheiro de equipe, na última das 90 voltas, garantindo a vitória.

Scott Dixon
Dixon chegou a “bater rodas” com Rosenqvist para vencer. (Foto: IndyCar)

O final da prova foi dos mais emocionantes, com Rosenqvist descontando uma vantagem de mais de nove segundos para Dixon, que tinha pneus macios contra duros do companheiro de equipe. O sueco ficou muito tempo preso atrás dos retardatários, conseguindo se livrar apenas na penúltima volta para atacar o veterano. Os dois se tocaram, mas seguiram na prova, com o neozelandês vencendo por 0s0934.

Ryan Hunter-Reay terminou a prova em terceiro com o carro da Andretti Autosport, defendendo-se de um ataque de Josef Newgarden na volta final. O americano da Penske rodou e ficou preso na brita, cedendo a quarta posição para Will Power, seu companheiro de equipe. O grupo dos cinco primeiros foi completado por Alexander Rossi, com outro carro do time de Michael Andretti, ficando sem combustível logo após completar a prova.

Simon Pagenaud fechou a corrida em sexto com a Penske, sendo seguido por Spencer Pigot, sétimo com um equipamento preparado pela Carpenter. Colton Herta, da Harding, enquanto Graham Rahal, piloto que defende a Rahal Letterman Lanigan, terminou a prova em nono. A lista dos dez primeiros foi completada por Jack Harvey, piloto da equipe Meyer Shank.

Os brasileiros tiveram mais uma jornada esquecível com os carros da AJ Foyt. Matheus Leist fechou a corrida na 18ª posição, depois de perder dois postos nas voltas finais. Tony Kanaan, que apostou em uma estratégia de duas paradas, chegou a aparecer em sétimo no primeiro terço da prova, mas perdeu muito desempenho, fechando a prova apenas na 20ª colocação.

Após a disputa da etapa de Mid-Ohio, a temporada da Indy segue com liderança de Josef Newgarden, que tem agora 504 pontos, apenas 16 a mais em relação ao segundo colocado, Alexander Rossi, que tem 488. Simon Pagenaud aparece na terceira posição com 457, enquanto Scott Dixon segue em quarto, agora com 442. Will Power é o quinto com 356.

O campeonato da Indy terá sequência apenas no dia 18 de agosto, com a realização da Pocono 500, que será disputada no superspeedway de Pocono.

Confira como foi a corrida

A largada em Mid-Ohio teve Will Power mantendo a primeira colocação, sendo seguido por Alexander Rossi. Josef Newgarden apareceu em terceiro, enquanto Simon Pagenaud e Sébastien Bourdais completavam o grupo dos cinco primeiros. Matheus Leist avançou para a 17ª posição, enquanto Tony Kanaan pulou para o 19º lugar. Takuma Sato se envolveu em um toque com Marcus Ericsson e escapou da pista.

Ericsson foi aos boxes, mas abandonou a prova, enquanto James Hinchcliffe, seu companheiro na Schmidt Peterson, também visitou aos boxes para fazer reparos em seu carro. Power mantinha uma vantagem de pouco mais de um segundo sobre Rossi, que segurava um pelotão que tinha Newgarden, Pagenaund, Bourdais, Felix Rosenqvist, Scott Dixon e Colton Herta.

As paradas nos boxes começaram logo na décima volta, com Graham Rahal trocando pneus e reabastecendo o carro da Rahal Letterman Lanigan. Zach Veach parou no giro seguinte, enquanto Leist fez seu pit stop no 12º giro. Pagenaud, Bourdais e Ed Jones pararam na volta 14, enquanto Newgarden ganhou pneus novos e mais gasolina na volta 15, no momento em que Bourdais e Herta se tocaram, com o francês rodando.

Ryan Hunter-Reay foi outro a parar, este na volta 17, enquanto Tony Kanaan, que, sem ir aos boxes, avançou para a sétima posição, começou a ser escalado, sendo superado na mesma curva por Newgarden e Pagenaud. Na frente, Rosenqvist se aproximou de Rossi e superou o piloto da Andretti Autosport na 18ª volta, tomando a segunda posição. Dixon, com o outro carro da Chip Ganassi, também deixou o vice-líder do campeonato para trás na volta 19.

Com um ritmo mais forte, Rosenqvist passou a atacar Power pela liderança da prova na 20ª volta. Kanaan seguiu perdendo posições, e apareceu em 14º no 22º giro. Três voltas depois, Rosenqvist assumiu a primeira posição ao fazer uma bonita ultrapassagem por fora sobre Power. Um pouco mais atrás, Spencer Pigot foi mais um a superar Rossi, avançando para o quarto lugar.

Sem ritmo, Rossi e Kanaan pararam nos boxes na volta 27, enquanto Pigot parou para trocar pneus e reabastecer no giro seguinte. Rosenqvist fez seu pit stop na volta 29, enquanto Dixon e Power vieram aos boxes na 30ª passagem. Após a primeira rodada de paradas nos boxes, a classificação apontava Newgarden na liderança, seguido por Pagenaud, Hunter-Reay, Herta e Rahal.

Na 31ª volta, Rosenqvist voltou a figurar no grupo dos cinco primeiros ao superar Rahal, enquanto Dixon partiu para o ataque sobre Power, com os dois se tocando na volta 32. Dois giros depois, o neozelandês conseguiu a ultrapassagem para tomar a décima posição. Leist parou pela segunda vez nos boxes na volta 36, enquanto Pagenaud e Herta trocaram pneus e reabasteceram na volta 37, atitude seguida por Hunter-Reay um giro depois.

Bourdais trocou pneus e reabasteceu na volta 39, enquanto Newgarden fez seu segundo pit stop na volta 40, tendo problemas no reabastecimento. Na saída dos boxes, o americano defendeu a sétima posição de um ataque de Pagenaud. Rosenqvist, novamente na liderança da prova, parou nos boxes na volta 45, uma antes de Pigot, piloto da Carpenter.

Dixon assumiu a liderança da prova, sendo seguido por Power e Rosenqvist, enquanto Kanaan, vindo na 16ª colocação, parou nos boxes na volta 54. No mesmo giro, o sueco deixou o piloto da Penske para trás, tomando a segunda posição. Rossi, por sua vez, aparecia na quarta colocação da prova em um stint que chegou a 30 voltas no complemento da volta 56.

Rossi finalmente fez sua segunda parada na volta 59, colocando pneus duros para ir até o final da corrida. Líder da prova, Dixon veio para a troca de pneus e reabastecimento na passagem seguinte, passando a ter os pneus macios. Outro em estratégia de menos paradas, Power visitou os boxes na 61ª volta, recebendo os pneus de banda preta, os duros. Dois giros depois, Newgarden recebeu novos pneus duros também, enquanto Pagenaud fez o mesmo na volta 64.

Rosenqvist se colocou na liderança da prova mais uma vez, sempre tendo atrás Dixon. Contudo, o sueco precisaria fazer mais uma parada nos boxes. Ferrucci se colocou em terceiro, sendo seguido por Hunter-Reay e Newgarden. Leist aparecia em 16º, uma posição à frente de Kanaan. Ferrucci foi chamado pela Dale Coyne para trocar pneus e reabastecer na volta 66.

Rosenqvist foi para a última parada na volta 67, cedendo a liderança para Dixon mais uma vez, retornando na segunda posição. O neozelandês chegou nos retardatários na volta 71, e começou a ver a distância para o companheiro de Chip Ganassi diminuir de nove para sete segundos. Leist e Kanaan seguiam no final do grid, uma volta distantes dos líderes

Rossi, aparecendo na sexta posição, pisou fora da pista na volta 77, mas sem sofrer qualquer consequência com isso. Rosenqvist seguiu descontando a diferença para Dixon, baixando dos seis segundos na volta 78. Três voltas depois, Herta passou a atacar Pigot em disputa valendo a oitava posição.

Rosenqvist chegou de vez em Dixon quando restavam seis voltas para o final da prova, com o neozelandês impedindo uma aproximação ainda maior graças aos retardatários. Ainda assim, o sueco trouxe a diferença para menos de dois segundos restando cinco voltas para o final, trazendo consigo Ryan Hunter-Reay, piloto da Andretti que também não precisava mais economizar combustível.

O sueco conseguiu se livrar dos retardatários, e tentou, sem sucesso, ultrapassar Dixon, chegando a tocar no neozelandês na abertura da última volta. Newgarden tentou ultrapassar Hunter-Reay, mas rodou, abandonando a disputa. Rosenqvist ainda tentou um último ataque, sem sucesso.