Card image
Competições
Di Grassi mantém vice-liderança da Fórmula E

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 07/02/2016
  • Atualizado: 27/03/2019 às 9:58
  • Por: admin

<p><img alt="Di Grassi aparece quatro pontos atrás de Buemi após quatro corridas" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/_l0u0194_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Lucas di Grassi chegou a flertar com a vitória no ePrix de Buenos Aires da Fórmula E, realizado neste sábado (6). O piloto da ABT Schaeffler Audi Sport esteve muito próximo de Sam Bird na segunda metade da prova, mas não conseguiu a ultrapassagem. Pior, o brasileiro acabou superado por Sébastien Buemi e teve de se contentar com a terceira posição ao final das 35 voltas.</p>

<p><strong>LEIA MAIS:<br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/noticias/f1-formula-1/f-e-bird-segura-buemi-e-vence-na-argentina">Bird segura Buemi e vence na Argentina</a><br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/noticias/f1-formula-1/f-e-senna-fatura-ponto-mais-sofrido-da-carreira">Senna fatura “ponto mais sofrido da carreira”</a><br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/noticias/f1-formula-1/f-e-safety-car-derruba-estrategia-de-nelsinho-piquet">Safety Car derruba estratégia de Nelsinho Piquet</a></strong></p>

<p>Largando da sétima colocação, Di Grassi avançou até a terceira colocação no momento da rodada de paradas nos boxes. Neste momento, o brasileiro enfrentou uma situação curiosa: precisou empurrar o carro de Nicolas Prost, que sem bateria, ficou parado no pit lane, impedindo sua troca de carros involuntariamente.</p>

<p>“Larguei em sétimo, em uma classificação que não foi muito boa. A corrida, no entanto, estava indo muito bem. Passei para sexto, quinto, quarto e terceiro antes do pit stop, e na entrada o Nico (Prost, que estava à frente de Lucas) já tinha consumido toda a bateria e o carro dele apagou no pit lane”, descreveu Di Grassi. </p>

<p>“Eu tive meio que empurrá-lo porque eu precisava entrar no meu box para fazer a troca. Além disso, existe uma velocidade mínima dentro dos pits que é de 45 km/h, então foi uma situação meio bizarra porque eu não podia andar abaixo de 45 e ele diminuía mais e mais a velocidade e eu não tive outra alternativa a não ser dar uns toques para empurrá-lo adiante”, explicou.</p>

<p>A entrada do Safety Car para retirar o carro de Antonio Félix da Costa atrapalhou a estratégia de corrida de Di Grassi, mesmo ocupando a segunda colocação. Se por um lado, ele se aproximou de vez de Bird, por outro viu Sébastien Buemi se aproximar, conseguindo a ultrapassagem algumas voltas mais tarde.</p>

<p>“O Safety Car depois atrapalhou a nossa estratégia – acho que sem essa entrada a nossa chance de vencer a corrida era bem maior – porque estávamos dez segundos à frente do Buemi e a entrada do carro de segurança neutralizou essa diferença. Tentei atacar o Sam (Bird, líder da prova) o máximo que pude por três ou quatro voltas, usei a energia; aí perdi o ‘momentum’ e o Sébastien estava ali, não tive muito o que fazer: tentei defender, ele passou e fiquei em terceiro”, disse.</p>

<p>Apesar de ser o único piloto do grid da Fórmula E que completou as quatro corridas do ano entre os três melhores, Di Grassi viu Buemi aumentar sua vantagem na liderança do campeonato. O suíço agora tem 80 pontos, contra 76 do piloto da ABT Schaeffler Audi Sport. Especialmente em Buenos Aires, Lucas não gostou do desempenho de seu carro.</p>

<p>“Não acho que nosso carro estava tão bom aqui. Esta foi a nossa pior corrida até agora em termos de ritmo; o qualifying não foi legal e na corrida eu tive que usar mais energia que o normal e por isso tive que economizar bastante no final. A Renault está um grande passo à frente da concorrência, e se quisermos brigar pelo campeonato vamos ter de trabalhar mais duro ainda”, completou.</p>

<p>A próxima etapa da Fórmula E acontece no dia seis de março, com a disputa do ePrix da Cidade do México, que será realizado no Autódromo Hermanos Rodríguez.</p>