Card image
Competições
Agora na Renault, Magnussen temeu não ter lugar na F1

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 03/02/2016
  • Atualizado: 27/03/2019 às 9:58
  • Por: admin

<p><img alt="Magnussen retorna ao grid da Fórmula 1 após um ano de ausência" height="467" src="/wp-content/uploads/uploads/dcd1603fe125_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Mais novo contratado da Renault para a temporada 2016 da Fórmula 1, Kevin Magnussen disse, após a apresentação feita pela equipe francesa na manhã desta quarta-feira (3), em Paris, que sua carreira na principal categoria do automobilismo mundial teria acabado caso não conseguisse um cockpit para este ano.</p>

<p><strong>LEIA MAIS:<br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/formula-1/f1-formula-1/com-magnussen-renault-apresenta-equipe-para-2016/">Com Magnussen, Renault apresenta equipe para 2016</a><br />
<a href="http://www.motorpress.com.br/racing/formula-1/f1-formula-1/buenos-aires-recebe-quarta-etapa-da-formula-e/">Buenos Aires recebe quarta etapa da Formula E</a></strong></p>

<p>O dinamarquês esteve no grid em 2014, ano em que defendeu a McLaren ao lado de Jenson Button. No ano seguinte, porém, Magnussen foi rebaixado ao cargo de piloto reserva por conta da chegada de Fernando Alonso ao time de Woking, participando apenas das atividades do GP da Austrália, substituindo o espanhol, que se recuperava de um acidente na pré-temporada.</p>

<p>Dispensado da McLaren no final do ano passado, Magnussen tinha seu nome ligado as especulações das vagas na Manor, mas a falta de repasse dos patrocínios da PDVSA, apoiadora de Pastor Maldonado, fizeram com que o filho de Jan Magnussen passasse a ser o único concorrente pela vaga, que foi confirmada nesta manhã.</p>

<p>“Dois anos fora seria o fim”, disse Magnussen, em declaração à revista inglesa Autosport. “Se você é um campeão mundial, você pode conseguir voltar, mas na minha posição, estando fora da Fórmula 1 por dois anos, seria o fim da minha carreira na Fórmula 1”, seguiu o piloto, que chegou a testar o Nissan que seria utilizado na classe LMP1 do FIA WEC e um carro da Mercedes no DTM.</p>

<p>“Esta é uma grande oportunidade, pois não são muitos os pilotos que ganham uma segunda chance. Eu recebi uma segunda chance, e uma chance muito boa com uma equipe de ponta. Não posso contar para você o quão feliz eu estou. Estou ansioso para entrar no carro”, seguiu o dinamarquês, que terá como companheiro de equipe o novato Jolyon Palmer.</p>

<p>Magnussen admitiu que seu acordo com a Renault foi firmado apenas um dia antes da apresentação realizada nesta quarta-feira, mas que as conversas começaram cedo.</p>

<p>“Existiu algum contato com a Renault na época em que eles iniciaram a compra da Lotus, mas então eles ficaram quietos por algum tempo. Então, no início do ano, eles retomaram as conversas. Esperei por um longo tempo, mas finalmente isso foi fechado”, completou.</p>

<p>A primeira experiência de Magnussen com o novo carro da Renault acontecerá no dia 22 de fevereiro, quando a pré-temporada terá início. As atividades acontecerão no circuito de Barcelona, na Espanha.</p>