Card image
Coluna
Coluna da Isabel Reis: por trás das pistas

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 05/07/2020
  • Atualizado: 05/07/2020 às 8:47
  • Por: Isabel Reis

O automobilismo não pode ser visto apenas como um grupo de talentos correndo atrás de uma bandeira quadriculada: por trás das pistas há muita coisa acontecendo. O exemplo recente, que ganhou os destaques da imprensa, foi a perda de patrocínio da Bia Figueiredo, resultado de um possível envolvimento da sua família em ações ilícitas. O nosso esporte, e o mundo, não aceitam mais atitudes duvidosas em seus bastidores.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga a RACING também no Instagram!
O outro lado da balança

A compensação para este fato ruim é que estão surgindo outras ações e atitudes que engrandecem o automobilismo. Na abertura da Fórmula 1 de 2020, que finalmente está acontecendo com o GP da Áustria, veremos um campeonato mudado e mais maduro. A iniciativa do #WeRaceAsOne inova por se propor a enfrentar os problemas do esporte e das comunidades globais. A luta da categoria será a de criar ações contra o Covid-19 e de condenar o racismo e a desigualdade social.

Durante este fim de semana, equipes e parceiros da F1 agradecem aos trabalhadores e a todos que lutam diretamente contra o Covid-19, exibindo um arco-íris nos seus carros e ao redor do circuito. Há ainda demonstrações visuais de apoio na luta contra o racismo, anunciando promessas claras para aumentar a diversidade e as oportunidades no esporte.

Logotipo da ação #WeRaceAsOne
Depoimento de Jean Todt

Veja o que falou Jean Todt, presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo): “O novo acordo que proponho para o esporte a motor no contexto da pandemia do Covi-19 significa estabelecer as bases para a recuperação e um futuro sustentável para a Fórmula 1 e outras categorias. Isso inclui novas regras para reduzir custos, bem como uma iniciativa para aumentar a popularidade e o acesso ao esporte motor. É importante ressaltar a contribuição positiva que o automobilismo pode trazer para a sociedade, cobrindo todos os setores de saúde, segurança, economia, meio ambiente, educação, inclusão e diversidade. Estou muito satisfeito em receber a iniciativa #WeRaceAsOne como parte desse esforço coletivo.”

Todos os carros foram decorados com o arco-íris, símbolo da ação

 

Ações práticas no Brasil

No nosso país já existem várias entidades que se formaram a partir do esporte automotor e que contribuem da maneira significativa com a sociedade. A maior delas é o Instituto Ayrton Senna, mas existem também outros, como o Instituto Família Barrichello e o Instituto Ingo Hoffmann.

Isso demonstra, na prática, que o segmento automotivo pode ir além das pistas. Está na hora de eliminar de vez a nuvem escura dos negócios pouco claros e mostrar categorias transparentes. Mostrar equipes humanas, pilotos humanos, que não se preocupam apenas em vencer uma prova a qualquer custo!

Grande atividade social nos bastidores do Sertões

O Sertões, grande campeonato, que caminha para os 30 anos de existência, sempre teve um cunho social por trás da competição. Joaquim Monteiro, Dirigente da categoria, explicou: “O nosso maior desafio este ano é atuar de maneira efetiva na pandemia e fazer a diferença. O projeto SAS (Saúde e Alegria no Sertões) ampliou ainda mais o seu escopo com técnicas de telemedicina e capacitação de líderes comunitários. O objetivo é oferecer alternativas para levar o atendimento médico e psicológico para moradores de comunidades carentes. Com isso, evitamos que as pessoas se dirijam a hospitais ou postos de saúde. O plano é atender até 40.000 pessoas na região de Paraisópolis e cerca de 19.000 pessoas do Jardim Colombo, ambos em São Paulo. O SAS expandiu também o atendimento para o Rio de Janeiro, levando seu trabalho ao Complexo do Alemão e ao Jardim Gramacho.”

Talvez a pandemia tenha mesmo esse efeito de aprofundar o melhor e o pior das pessoas. Mas já dá para sentir uma tentativa global de transparência e na forma de como lidar com as questões que realmente importam. No fundo, as questões que realmente importam são o respeito ao nosso planeta e às pessoas que nele vivem. Que todos nós possamos viver melhor, quando tudo isso passar.

LEIA MAIS:

Confirmado o TCR Sul-americano em 2021

O retorno da Copa HB20, Sertões e GT Sprint Race

O possível retorno do automobilismo no Brasil

O piloto é um bailarino das pistas de corridas