Cartas do Bird: Meu amigo Pedro Muffato

Contribuidor: BIRD CLEMENTE, De São Paulo (SP) 08/02/2017 20:00

Bird: amizade e respeito pela brilhante trajetória do piloto, empresário e homem público

Caro amigo Pedro Muffato. Eu não entendo de detalhes e da complexidade da construção de carro de corrida como você viabilizou, com o suporte de Oreste Berta, nem tenho estrutura econômica e logística de reproduzir um carro de corrida de Fórmula 2 no Brasil, como você construiu com o seu protagonismo. Eu só sei contar histórias.

E gosto de retratar nas minhas histórias os personagens que foram e que são importantes pelo que fi zeram e que fazem pelo automobilismo brasileiro. Assim eu começaria a sua história, Pedro Muffato, falando que você foi um piloto efetivo, mas que você foi muito mais que um piloto. Foi sempre protagonista no automobilismo do Brasil e da América do Sul.

Eu acompanhei a importância de seu trabalho brilhante na tratativa com os argentinos para criar a trajetória primeira competição integradora do automobilismo da América do Sul, o projeto da Fórmula 2 Codasur. Depois e com a maior atenção e proximidade, acompanhei sua atuação para criar na América do Sul uma F-3 de acordo com regulamentos internacionais FIA.

E para dizer como e em que nível de proximidade e atuação acompanhei o seu trabalho e o do Toninho de Souza, em prol da F-3 Sul-Americana, tenho que ter cuidado para não ser e nem parecer indelicado à memória de Piero Gancia, o notável presidente que tivemos frente à Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), e sensibilidade para não me apropriar de méritos das pessoas que foram fundamentais na criação da categoria, pois não é esse o meu desejo.

É que no caso atendi um pedido especial de Gancia, que eu o ajudasse com o novo campeonato, em pontos que eu tinha como ajudar, e que efetivamente o fi z. Ajudei a trazer sem tribu-tação os carros europeus de F-3 para o Brasil e para a América do Sul. Assim como eu ajudei em prol da concessão da superlicença da Fórmula 1 como prêmio ao campeão da temporada da F-3 Sul-Americana. Contribuí assim de forma efetiva, pontualmente, nesses dois itens importantes para alavancar o novo campeonato.

Esses dois itens deram novo status e prestígio à nossa F-3 e importância estratégica no planejamento de carreira de jovens pilotos, que a tiveram como alternativa e degrau importante para se preparar melhor e chegar à Europa e Estados Unidos com mais quilometragem. Possibilitou estágios fundamentais às carreiras de Christian Fittipaldi, Helinho Castroneves, Ricardo Zonta, Bruno Junqueira, Nelsinho Piquet, Vitor Meira e outros. Pena o evento não tenha se mantido ao longo da década.

Até hoje eu não tinha revelado essa minha participação. E o faço agora no livro do Pedro Muffato. Achei que era uma boa hora revelar no livro um dos mais importantes personagens que foi dessa categoria, seja como piloto, entusiasta, empresário de comunicação, comentarista, elo entre brasileiros e argentinos.

*Texto extraído do livro “Muffatão: história e histórias de Pedro Muffato”, escrito pelos jornalista Clóvis Grelak (páginas 207 a 210).

Confira mais sobre o livro nesse site.